Estado de Cabo Verde não tem interesse em mais de 30% da Binter, diz vice-primeiro ministro

O vice-primeiro ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, garantiu hoje que o Estado de Cabo Verde não tem interesse em entrar com mais de 30% no capital social da transportadora aérea Binter Cabo Verde.

“Os 30%, que são o capital do Estado na Binter, estão garantidos. Em relação aos 19%, a Binter decidirá se as colocará ou não no mercado, e será um negócio entre privados. O Estado não tem interesse em ser acionista da Binter para além dos 30%”, foi a resposta do Vice-Primeiro Ministro e Ministro das Finanças ao ser questionado, pelos jornalistas sobre a participação do Estado Binter, que o governo havia anunciado que seria feita em duas fases: 30% até final do ano, 19% até Junho de 2018.

A decisão do governo de entrar em apenas 30% da capital social é novidade uma vez que em Novembro de 2017, durante o primeiro aniversário de operações da Binter Cabo Verde, o ministro da Economia, José Gonçalves, tinha anunciado que a aquisição dos 49% do capital da companhia aérea por parte do Estado seria feita em duas fases: 30% até final do ano, 19% até Junho de 2018.

José Gonçalves recusou, na ocasião, avançar qual o custo total da operação dizendo apenas que 30% são uma compensação dada pela companhia ao Estado e que os restantes 19% serão comprados por um valor que não tinha sido ainda apurado.

Durante a visita que fez a Cabo Verde Telecom o Vice-Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, Olavo Correia, revelou que a entrada da rede da telefonia móvel 4G não será no próximo mês de Junho, como havia anunciado a ANAC _ Agencia Nacional das Comunicações. Olavo Correia recusou-se em indicar uma data, mas assegurou que tudo está a ser feito para a 4G começar a funcionar este ano. “ Temos uma reunião com os operadores para acordar o modelo, estou em crer que ainda este ano teremos o 4G a funcionar em Cabo Verde”, disse Olavo Correia.

Relacionadas

Privatização da TACV ainda este ano, anuncia Ulisses Correia e Silva

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Siva, garantiu esta quinta-feira, na Cidade da Praia, que o processo de privatização da TACV-Cabo Verde Airlines “ficará concluído” até ao final do ano e com “vantagens enormes” para o país.

Agentes de viagens “agastados” com sistema de ligação aérea inter-ilhas

Presidente da Associação das Agências de Viagens e Turismo (AAVT), Maria Teresa Graça, está inconformada com as tarifas de viagens aéreas que vêm sendo praticadas pela Binter CV, a operadora que desde o ano passado assume sozinha os voos inter-ilhas no arquipélago cabo-verdiano, após a saída da companhia pública, TACV, do mercado doméstico.

Ex-PCA. “A minha dúvida é se há algo para ser privatizado na TACV”

Antigo presidente do Conselho de Administração da TACV, António Neves, diz não confiar nas pessoas que foram chamadas para formatar o novo negócio da companhia aérea cabo-verdiana, referindo-se a “um conjunto de pessoas que faz opinião” a nível do Governo sobre a situação da TACV.

Sitthur considera “extremamente negativas” as medidas adoptadas pelo Governo com a reestruturação da TACV

O Sitthur considerou hoje que as medidas adoptadas para a reestruturação da TACV têm deixado consequências “extremamente violentas e dolorosas” para os trabalhadores, aumento considerável no preço dos bilhetes, enquanto a população fica “desamparada” em caso de emergência.

Relatório parlamentar aponta gestão “danosa” nos TACV

A situação financeira da companhia aérea pública cabo-verdiana (TACV) deve-se a atos de gestão de “duvidosa eficácia” e “danosos” de conselhos de administração, conclui o relatório parlamentar de inquérito à gestão da empresa, que responsabiliza sobretudo governos do PAICV.
Recomendadas

Cabo Verde Airlines arranca com nova operação inter-ilhas com as portuguesas Lease-Fly e Newtour

A companhia aérea cabo-verdiana, anunciou hoje uma “parceria estratégica” com as portuguesas Lease-Fly e Newtour para os voos domésticos entre ilhas naquele arquipélago e garantindo assim a conectividade ao ‘hub’ internacional na ilha do Sal.

Grupo militar na Renamo recusa entregar armas sem eleger novo presidente do partido

O líder do braço armado da Renamo que contesta a liderança do partido recusou hoje entregar as armas no quadro do acordo de paz assinado com o Governo sem que seja eleito um novo presidente da formação política.

Governo cabo-verdiano disponibiliza 15 mil contos para reabilitar escolas na ilha de Santiago

O governo de Cabo Verde vai, através do Ministério da Educação, conceder este montante para estabelecimentos de ensino nos concelhos do Tarrafal e Santa Catarina.
Comentários