Sequeira Braga: “Estado ganhou mais de 1.270 milhões de euros com os CTT”

Sequeira Braga, gestor com passado relevante nos correios e nas telecomunicações, afirma que a deterioração da atividade postal era expectável e que a empresa falhou na adaptação à economia digital. E critica o aproveitamento político da situação.

Os CTT – Correios de Portugal fecharam o ano passado com uma quebra de 56,1% do lucro, face 2016, para 27,3 milhões de euros, com o aumento ligeiro nos rendimentos a ser insuficiente para compensar subidas nos gastos operacionais e nas provisões. Estes resultados – apesar de tudo, melhores do que o antecipado – são o último evento num período de grande instabilidade, em que foi evidente a degradação da operação da empresa, que foi alvo de contestação pública devido ao encerramento de balcões e ao corte de pessoal previsto no programa de reestruturação entretanto encetado. Foi também objeto de contestação política, com os partidos da esquerda parlamentar a proporem o fim da concessão do serviço postal universal e a reversão da privatização.

Em entrevista ao Jornal Económico, o gestor Gonçalo Sequeira Braga, que foi quadro e administrador dos CTT nas décadas de 1970 e 1980 e é, agora, um pequeno acionista da empresa, afirma que esta discussão sobre os CTT nem sempre é feita da melhor forma. “Curiosamente, na discussão pública e política sobre CTT nunca se tem falado dos ganhos efetivos que o Estado registou com a atividade” da empresa”, diz.

Artigo publicado na edição semanal do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

CTT pagou 1,17 milhões para mudar o administrador financeiro

Saída antecipada do administrador financeiro, André Gorjão Costa custou 1,17 milhões de euros aos CTT, quase metade da remuneração de toda a comissão executiva no ano passado.
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários