“Estados-Membros estão a utilizar de forma leviana a bomba atómica de Schengen”, acusa Carlos Coelho

Relatório de eurodeputado português, aprovado esta quarta-feira no Parlamento Europeu, acusa os Estados-membros de “desrespeitar as normas relativas à utilização do maior sistema europeu no combate ao crime e no controlo das fronteiras”.

“Os últimos três anos foram dramáticos. Uma aparente ‘nova normalidade’ emergiu: controlos nas fronteiras internas voltaram a fazer parte do quotidiano de milhões de europeus”, disse o eurodeputado Carlos Coelho, esta quarta-feira, durante a reunião de plenário, em Estrasburgo, que aprovou o seu relatório sobre o Estado de Schengen.

O relator português acusa os governos dos Estados-Membros de “transformaram Schengen no bode expiatório para as falhas nas políticas de segurança e para as fragilidades do Sistema Europeu Comum de Asilo”, usando de “forma leviana a bomba atómica de Schengen” para “expiar culpas e ganhar eleições”.

No relatório aprovado por 439 votos a favor, 157 contra e 80 abstenções, Carlos Coelho considera que muitos dos prolongamentos dos controlos nas fronteiras internas não estão em conformidade com as normas vigentes.

“O período máximo, acordado pelos próprios Estados-Membros, foi largamente ultrapassado e os motivos (vagos e apresentados a contra gosto) não encontram reflexo na realidade”, refere, alertando para o facto de “se Schengen perecer, o impacto económico poderá alcançar os 50 mil milhões de euros”.

Para o eurodeputado português, o problema no combate ao terrorismo não se resolve com mais fronteiras, mas com maior cooperação. Carlos Coelho considera inaceitável, por exemplo, que “sete anos depois de cumprirem todos os requisitos para beneficiaram da liberdade de circulação” a Bulgária e Roménia não sejam membros de pleno direito de Schengen.

Relacionadas

Por terra, por mar ou por ar… estes são os documentos que o podem impedir de viajar

Está a planear as suas férias? Já pensou na sua bagagem? Não se esqueça que há documentos que não pode dispensar nas suas viagens.

Vistos para viajar na União Europeia vão ser verificados automaticamente

Alterações propostas vão permitir a verificação dos antecedentes, os requerentes de vistos, colmatar lacunas a nível da informação de segurança mediante uma troca de informações mais eficaz entre os Estados-Membros.

Imigração para Portugal cresceu 19% em 2017

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras concedeu 29.055 autorizações de residência a naturais de países terceiros à União Europeia em 2017, contra as 24.451 autorizações em 2016.

‘Vistos Gold’. “Corremos o risco de abrir fronteiras ao crime organizado”, avisa associação

A associação Transparência e Integridade denunciou aquilo que considera os riscos mais evidentes das autorizações de residência para atividade de investimento, conhecidas por ‘vistos gold’, designadamente branqueamento de capitais, financiamento de crime organizado ou terrorismo e fuga aos impostos.
Recomendadas

Vistos gold: Investimento captado mais do que triplicou em julho para 98,2 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ mais do que triplicou (aumentou 276%) em julho, face ao período homólogo de 2018, para 98,2 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Número de viciados em jogo online aumentou mais de 8% em Portugal

No espaço de seis meses, 38.600 pessoas pediram para ser impedidas de jogar online, mais 3.200 pessoas face a 2018, uma subida de 8,3%.

Avião de carga aterrou de emergência no aeroporto do Porto  

Um avião de carga com dois tripulantes fez hoje uma “aterragem de emergência” em segurança no aeroporto do Porto devido a um “problema no motor”, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.
Comentários