Estudantes internacionais realizam estágios de formação avançada no Centro de Química da Madeira

Estes estágios decorre nos meses de março, com três estudantes de mestrado, vindos de universidades em Itália, Polónia e Suécia, e dois de doutoramento, em setembro, de um laboratório do Brasil.

Campus da Universidade da Madeira, Penteada, Funchal

O Centro de Química da Madeira (CQM) vai receber cinco estudantes internacionais, três de mestrados e dois de doutoramento, para a realização de formação avançada neste organismo.

Os estudantes de mestrados vêm da Universidade de Siena, em Itália, da Universidade de Tecnologia de Rzeszów, na Polónia, e da Universidade de Skövde, na Suécia, e a partir deste mês vão desenvolver trabalhos na área do “comportamento mecânico e da interação celular em diferentes linhas celulares de cancro”.

Testes de citocompatibilidade de biomateriais para produção comercial será a área de trabalho dos estudantes de doutouramento do CERTBIO – Laboratório de Avaliação e Desenvolvimento de Biomateriais do Nordeste, no Brasil, numa parceria entre este organismo e o CQM.

Este trabalho começa a partir de setembro.

Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários