Eurodeputado do PS insulta socialista no Twitter: “dita a cigana e não só pelo aspeto”

O socialista Manuel dos Santos usou a rede social para criticar o grupo parlamentar o PS de votar em Lisboa para a Agência Europeia do Medicamento. Quanto a Luísa Salgueiro, apelidou-a de “a dita cigana” e afirmou que é “protegida de Costa”.

Numa série de tweets que começaram sobre a polémica da Agência Europeia do Medicamento e acabaram-se por se tornar pessoais, o eurodeputado socialista Manuel dos Santos criticou o próprio partido na disputa de cidades portugueses para a receber a agência. Os insultos foram dirigidos à deputada, também socialista, Luisa Salgueiro.

“Os deputados socialistas do Porto, votaram a candidatura de Lisboa a sede da Agência Europeia do Medicamento. Uma verdadeira vergonha”, escreveu Manuel dos Santos no Twitter. “Entre os deputados socialistas que votaram Lisboa como sede da Agência Europeia do Medicamento, esteve Luísa Salgueiro, dita a cigana”.

Manuel dos Santos, que integra o Grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu, continuou, explicando que Luísa Salgueiro, “desconhecida deputada em Lisboa, reside na Maia, é protegida por [primeiro-ministro, António] Costa e [candidato à Câmara do Porto, Manuel] Pizarro e vai ser candidata à câmara de Matosinhos”.

As associações à etnia cigana não ficaram por aí e o eurodeputado escreveu ainda que “Luisa Salgueiro, dita a cigana e não é só pelo aspecto, paga os favores que recebe com votos alinhados com os centralistas”. No seguimento, Manuel dos Santos ressalvou: “Não me demovem nem me atemorizam. Claro que não sou racista”.

Há já reações de outros políticos, incluindo o porta-voz do PS, João Galamba, e o fundador do LIVRE, Rui Tavares. Também no Twitter, Tavares escreveu: “Lamento, mas não posso achar aceitável que um deputado ao Parlamento Europeu se exprima nestes termos racistas”. A isto, Galamba respondeu: “Não achas tu e não acha ninguém. Uma vergonha de MEP”.

Em causa está o caso da candidatura de uma cidade portuguesa para receber a sede da Agência Europeia do Medicamento que irá sair de Londres com o Brexit. A capital foi escolhida pelo Governo e todos os deputados na Assembleia da República votaram por unanimidade a favor da candidatura de Lisboa.

No entanto, a decisão gerou polémica com políticos de várias localidades, incluindo o Porto, a reivindicarem que outras cidades deviam ter sido consideradas.

Na terça-feira, a Câmara do Porto aprovou por unanimidade a criação de um grupo de trabalho para candidatar a cidade à agência, mas apenas se o primeiro-ministro garantir rever a decisão. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, também já falou sobre o assunto, tendo pedido aos partidos que estabilizem a opinião e remem na mesma direção para que o país tenha melhores hipóteses de ganhar.

Ler mais
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários