Euronext concluiu aquisição da Bolsa da Irlanda

A Bolsa da Irlanda vai mudar de nome para Euronext Dublin e continuará a ser liderada pelo CEO Deirdre Somers, que se junta também ao board da Euronext.

Reuters

A Euronext, empresa gestora de vários índices acionistas incluindo a Bolsa de Lisboa, concluiu a aquisição da Bolsa da Irlanda. O negócio envolveu a compra de todas as ações e direitos de voto do índice irlandês por 137 milhões de euros e tem efeito a partir de dia 1 de abril.

Dublin junta-se assim a Lisboa, Paris, Bruxelas e Amesterdão, em linha com o modelo federativo da Euronext. A Bolsa da Irlanda vai mudar de nome para Euronext Dublin e continuará a ser liderada pelo CEO Deirdre Somers, que se junta também ao board da Euronext, com responsabilidades de desenvolvimento do mercado de capitais irlandês e com o centro de Listing de Dívida & Fundos e ETF.

“Este é um dia histórico para os mercados de capitais irlandeses”, afirmou Somers, em comunicado. “Estamos entusiasmados por fazer parte do modelo federal da Euronext e das oportunidades que este oferece para dar acesso às empresas irlandesas a pools mais alargadas de capital e serviços corporativos internacionais”, disse.

Com a aquisição, o universo Euronext passa a integrar mais de 37 mil obrigações, 5.600 fundos e 1.050 ETF. Stéphane Boujnah, CEO e chairman do managing board da Euronext também reafirmou a intenção de continuar a política de aquisições no futuro.

“Temos um forte plano de crescimento para o nosso novo grupo combinado, para fortalecer a nossa liderança em listagens de dívida e fundos, e para ser o ponto de entrada para o crescimento de ETF, enquanto geramos sinergias através da integração da Euronext Dublin. Esta extensão significativa do modelo federal também reforçará a posição estratégica pós-Brexit da Euronext e permitirá ao grupo capturar oportunidades de crescimento que surjam, com uma abordagem disciplinada de M&A”, acrescentou.

Relacionadas

Euronext: “Vai ser interessante contar com a Bolsa da Irlanda após o Brexit”

A aquisição da Bolsa da Irlanda pela detentora da Bolsa de Lisboa está em fase final e deverá ficar fechada até ao final de março. Depois de Dublin, a Euronext pretende fazer mais aquisições.

CEO da Euronext Lisbon: “Mercado Único de Capitais vai acontecer, mas não por decisão da Comissão”

Tecido empresarial mundial mais concentrado e a tendência de globalização já levaram a uma abertura do mercado de capitais, segundo o presidente da Euronext Lisbon. Em entrevista ao Jornal Económico, Paulo Rodrigues da Silva defende que quem ficar de fora desta realidade, é que não faz parte do mercado do futuro.

CEO da Euronext Lisbon: “Há poucos capitalistas e pouca poupança em Portugal”

Há um ano no cargo, o CEO da Euronext Lisbon faz um balanço positivo da atividade da Bolsa de Lisboa. Diz que o número reduzido de cotadas é uma tendência global, que não o preocupa.
Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários