Expansão do Metro de Lisboa vai custar 266 milhões

Investimento inclui compra de material circulante e novo sistema de sinalização. Extensão entre o Rato e o Cais do Sodré terá dois quilómetros e duas estações e será financiado em 70 milhões por Bruxelas.

Rafael Marchante/Reuters

O Metropolitano de Lisboa (ML) prevê investir 266 milhões de euros no plano de expansão da rede entre o Rato e o Cais do Sodré, cujas obras deverão arrancar em 2019 e terminar em 2023, segundo fonte oficial da empresa pública de transportes assegurou ao Jornal Económico.

“O investimento previsto com a expansão do Metro com o prolongamento Rato/Cais do Sodré, com duas novas estações – Estrela e Santos – é de 266 milhões de euros”, garante a referida fonte do ML. A administração da empresa explica que neste montante estão incluídos 42 milhões de euros para a aquisição de material circulante (locomotivas e carruagens) e 23,8 milhões de euros para o novo sistema de sinalização.

“Prevê-se que os fundos estruturais e de Coesão financiem um montante próximo dos 70 milhões de euros”, garante a mesma fonte do ML. Desta forma, cerca de 196 milhões de euros para este projeto de expansão do metro da capital terão de ser assegurados pelo Orçamento do Estado.

“A parcela de financiamento que não for assegurada pelos fundos da União Europeia é assegurada pelo Estado. A origem desse financiamento é determinada”, explica a fonte oficial do ML, acrescentando que “as infraestruturas de longa duração são financiadas pelo Estado”.

Artigo publicado na edição semanal do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

Expansão dos metros de Lisboa e Porto avança em junho de 2019

“O mais tardar, no final do primeiro semestre do próximo ano, as obras já estarão no terreno”, assegurou ministro do Ambiente.

Metro de Lisboa volta a contratar escudado no novo modelo de gestão

Depois de ter reforçado a equipa de maquinistas, a empresa deu início à admissão de trabalhadores para a área de manutenção.
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários