Falta de água origina confronto entre manifestantes e polícia no Irão

Os confrontos decorrem em Jorramshahr no sudoeste do Irão. A agência de notícias Irna diz que existem 500 manifestantes que estão concentrados nas principais praças da cidade.

Raheb Homavand / Reuters

A escassez e a falta água é o motivo que está na origem de confrontos entre manifestantes e a polícia, em Jorramshahr, no sudoeste do Irão.

Os protestos começaram pela noite numa das principais praças da cidade, onde se concentraram pelo menos 500 pessoas, a maioria jovens, segundo a agência oficial de notícias Irna.

A polícia tentou dispersar os jovens, que gritavam palavras de ordem contra o Governo e exigiam uma solução para o problema da qualidade da água potável nas cidades de Jorramshahr e Abadan, na província de Juzestán.

Durante os confrontos, o governador de Jorramshahr e o imã da oração de sexta-feira apareceram entre a população para pedir calma.

A Irna não explicou se houve vítimas dos confrontos, enquanto canais opositores nas redes sociais informaram da morte de duas pessoas, dados que não puderam ser confirmados de modo independente.

Nesses canais, numerosos vídeos dos confrontos foram publicados, nos quais foram ouvidos tiros, se mostravam contestores incendiados pelos manifestantes e lançamento de gás lacrimogéneo pelos agentes de segurança.

A população da província de Khuzestan, a mais rica do Irão pelas suas reservas de petróleo e gás, vive em condições precárias e enfrenta problemas como tempestades de areia vindas do Iraque e escassez de água e eletricidade.

Os habitantes dessas zonas acusam as autoridades iranianas de darem água para o Iraque, em particular para a cidade de Basra, mas as autoridades locais negam.

Nos últimos meses, houve fortes protestos e greves de diferentes setores contra as autoridades em muitas cidades do Irão, motivadas pela atual crise económica.

Esta semana, o Grande Bazar de Teerão e outros importantes centros comerciais da capital fecharam as portas devido à forte desvalorização da moeda local.

No final de dezembro passado, manifestações contra a fome, que levaram a críticas contra o sistema da República Islâmica, espalharam-se por todo o país e resultaram em 25 mortes e mil detidos.

Ler mais
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.
Comentários