Farmacêuticos desmarcam greve da próxima semana após acordo com ministério da Saúde

A direcção do sindicado considera que este acordo não é uma vitória, mas obriga à suspensão da greve que estava marcada para os próximos dias 28, 29 e 30 de maio.

O Sindicato Nacional dos Farmacêuticos (SNF) decidiu desmarcar a greve que estava prevista para os próximos dias 28, 29 e 30 de maio, após um acordo com o ministério da Saúde. Em comunicado, os representantes do setor anunciaram que o acordo foi conseguido este sábado e prevê mudanças em matérias relacionadas com as carreiras dos farmacêuticos.

O SNF afirmou ter chegado a um acordo com o ministério da Saúde que prevê a inclusão da “formação farmacêutica especializada, conducente à aquisição do título de especialista, efetuada sob a tutela do SNS”, no conjunto de matérias reguladas pela carreira.

Sublinham que esta não é uma vitória, mas obriga à suspensão da greve que estava marcada para os próximos dias 28, 29 e 30 de maio.

“Esta greve é desmarcada, mas os Farmacêuticos não vão parar esteve movimento, porque só a força de todos consegue mover a montanha de dificuldades que sistematicamente nos é apresentada pelo Ministério da Saúde”, afirmou o presidente da direcção do SNF, Henrique Reguengo, em comunicado.

Recomendadas

“Dietas milagrosas” contrariam forma saudável de perder peso, alerta Deco

Para perder peso e manter a saúde, a dieta deve ser variada, eliminar os alimentos hipercalóricos, contemplar nunca menos de 1200 quilocalorias diárias (no caso das mulheres) e 1500 quilocalorias (no caso dos homens).

Gastos irregulares de cinco hospitais públicos sob suspeita

Inspeção-Geral das Atividades em Saúde realizou auditorias a cinco hospitais públicos e encontrou gastos irregulares no valor de 23,5 milhões de euros. 

Saúde. Privados investem 750 milhões de euros na criação de 19 hospitais até 2020

O grande reforço da oferta privada é em Lisboa e no Porto. Mas também há uma aposta em novas regiões como na Madeira, Açores, Vila Real ou Viseu, de acordo com o presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada, Óscar Gaspar.
Comentários