Fidelidade já encontrou equipas que passam à próxima fase no desafio de seguros

A Aliança Portuguesa de Blockchain anunciou que já foram seleccionadas as equipas que vão passar à próxima fase do desafio promovido pela Fidelidade na área de seguros.

O Fidelidade Insurance Challenge tem como base dois desafios relativos a seguros. O primeiro tem a ver com seguros para um evento desportivo único (one-time insurance).

O outro desafio deste concurso está relacionado com seguros paramétricos, onde, no contexto actual, existe um conjunto de parâmetros que nos rodeiam e cujos eventos que despoletam são também reconhecidos de forma unívoca pelas várias partes.

Pretende-se neste desafio a criação de um modelo de seguro paramétrico, aproveitando a capacidade de monitorizar risco online com base em parâmetros e no reconhecimento em Blockchain de eventos despoletados.

“As potencialidades evidenciadas nas propostas apresentadas revelam o que há muito se espera”, disse Rui Serapicos, da Aliança Portuguesa de Blockchain.

“O setor dos Seguros será um dos que mais rapidamente poderão beneficiar do uso da tecnologia Blockchain e a Fidelidade está a apostar desde cedo neste paradigma”. Rui Serapicos salientou ainda que “as equipas apresentaram soluções que vão ao encontro do que foi proposto pela Fidelidade e acreditamos que muito em breve poderemos ver soluções como estas no mercado nacional”.

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários