GDPR nas empresas TMT: desafio e oportunidade

O papel que as empresas de tecnologia, media e telecomunicações (TMT) têm como guardiãs de grandes volumes de dados dos consumidores (customer data), faz com estejam entre as mais afetadas pela Regulamentação Geral de Proteção de Dados (GDPR).

Algumas situações recentes de violação de customer data, sublinham os riscos reputacionais que as empresas TMT enfrentam na era digital pois os consumidores têm uma preocupação crescente em torno da integridade e segurança dos seus dados pessoais.

A eficácia no hosting e na gestão de dados são temas críticos, assumindo o customer data uma importância fulcral para os atuais e futuros modelos de negócio das empresas de TMT.

Um bom plano estratégico de GDPR deve, além de assegurar o compliance com os requisitos regulamentares, sustentar objetivos de negócio mais abrangentes, aliados à crescente centricidade do cliente.

Mas além das responsabilidades e riscos inerentes, o GDPR é também uma oportunidade para as empresas TMT. E essa oportunidade pode ser resumida numa palavra: confiança.

Estando a tecnologia cada vez mais integrada no quotidiano, a necessidade de os clientes confiarem nas organizações que possuem os seus dados é cada vez mais importante.

As empresas de TMT possuem geralmente informações como localização, nome e idade, tanto para adultos como para crianças, pelo que a necessidade de ganhar, manter e salvaguardar essa confiança é essencial. Ao serem reconhecidas não só por cumprirem a regulamentação, mas também o espírito subjacente ao GDPR, as empresas TMT têm a oportunidade de se diferenciar como defensoras dos direitos do consumidor na era digital.

Isto pode ser alcançado comunicando claramente um compromisso aos clientes, proporcionando maior transparência sobre seus direitos e oferecendo interfaces simples e fáceis de usar para que os consumidores possam gerir o consentimento de dados, a sua portabilidade e eliminação.

O GDPR cria, efetivamente, uma vantagem competitiva setorial de criar e divulgar novos padrões de direitos dos consumidores em termos de dados. Empresas bem sucedidas serão aquelas que aproveitarem esta oportunidade com fortes sistemas de compliance que, além de permitirem assegurar o cumprimento regulatório e evitar as penalizações, permitirão ir ao encontro das necessidades de clientes, investidores e colaboradores.

É fundamental conquistar a confiança dos consumidores de dados e nos settings estratégicos não definir o data privacy policy como private.

Ler mais

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (Convites, newsletters, estudos, etc), por favor Clique aqui

Recomendadas

Vídeos sapo

vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo vídeos sapo

O “novo” regime de dedução de gastos de financiamento líquidos – questões práticas

O regime de dedução de gastos de financiamento líquidos (“GFL”), em traços gerais, limita a dedução daqueles gastos para efeitos do apuramento do lucro tributável, em sede de IRC, até ao maior de dois patamares: Euro 1.000.000 ou 30% do resultado antes de depreciações, amortizações, GFL e impostos, ajustado para efeitos fiscais (“EBITDA fiscal”). A […]

Fatores que contribuem para o sucesso de uma transação

Num contexto de dinamismo no mercado de Fusões e Aquisições (M&A) em Portugal, e como profissionais na área, temos assistido a que, por vezes, a falta de preparação e experiência das estruturas acionistas, especialmente em PME (que muitas vezes são estruturas familiares), condicionam o sucesso de uma transação. Nesse sentido, gostaríamos de elencar alguns dos […]
Comentários