GNR apreende mais de uma tonelada de amêijoa avaliada em 8.800 euros

A operação foi efetuada pelo Destacamento de Controlo Costeiro de Lisboa, através dos Subdestacamentos de Controlo Costeiro de Setúbal e Fonte da Telha.

A GNR anunciou a apreensão de mais de uma tonelada de amêijoa japónica, avaliada em cerca de 8.800 euros, numa operação que decorreu em Palmela e Alcochete, no distrito de Setúbal.

“Durante uma ação de fiscalização às atividades relacionadas com a captura e comércio ilegal de bivalves, proteção das espécies e segurança alimentar, os militares detetaram que os infratores efetuavam o transporte dos bivalves, sem se fazerem acompanhar dos documentos de registo obrigatório por lei e desprovidos de qualquer vigilância higiossanitária, impedindo-se a sua entrada no circuito comercial, considerando os riscos para a saúde pública”, refere a GNR em comunicado.

A operação foi efetuada pelo Destacamento de Controlo Costeiro de Lisboa, através dos Subdestacamentos de Controlo Costeiro de Setúbal e Fonte da Telha.

“Os condutores, de 50 e 38 anos, foram identificados e elaborados os respetivos autos de contraordenação”, acrescenta.

Os 1.020 quilogramas de amêijoa japónica, por se encontrarem vivos, foram devolvidos ao seu ‘habitat’ natural.

Recomendadas

Justiça arquiva investigação à Yupido, a startup portuguesa com capital social de 29 mil milhões

Yupido captou a atenção da comunicação social em setembro de 2017, após o economista Carlos Pinto ter divulgado nas redes sociais o capital social desta startup tecnológica. Até ao dia de hoje, a Yupido nada produziu, nem regista atividade pública. O revisor oficial de contas que avaliou o capital da empresa foi suspenso dois anos.

Estado não cumpre pagamentos de indemnizações por falta de dotação orçamental

Estado devia ter pago 18 milhões de euros em indemnizações mas só pagou pouco mais de sete mil euros, no final de 2018, por decisões na Justiça. Relatório revelou que dotação orçamental é insuficiente para cumprir com os pagamentos das indemnizações.

Tribunais afastaram 64 políticos e gestores em oito anos

Em 2012 e 2013 verificou-se o maior número de perdas de mandato (seis) e destituições (cinco), escreve o JN.
Comentários