GoParity na corrida para ser uma das 40 vencedoras do World Summit Awards

A ‘shortlist’ final será conhecida em novembro. Os 40 vencedores vão participar no WSA Global Congress 2020, a acontecer em março, em Viena, numa cerimónia em que serão eleitos os oito ‘Global Champions’.

Da esquerda para a direita: Pritesh Kotecha, Mariana Marçal, Nuno Brito Jorge, Bernardo Tavares, Carolina Ribeiro, Luís Couto

A GoParity está na corrida para ser um dos 40 vencedores mundiais do World Summit Awards (WSA), uma competição das Nações Unidas que conta com a participação de 182 países.

A ‘shortlist’ é anunciada em novembro.

“Em fase de concurso nacional, a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC) selecionou as oito ‘startups’ que vão representar Portugal na competição mundial e a GoParity venceu na categoria ‘Environment & Green Energy’. Em dezembro, depois de anunciada a ‘shortlist’ mundial, o ‘Grand Jury’ vai selecionar cinco projetos por cada uma das oito categorias: os 40 vencedores que vão participar no WSA Global Congress 2020, a acontecer em março, em Viena, a cerimónia em que serão eleitos os oito ‘Global Champions’, explica um comunicado da GoParity.

A GoParity é uma plataforma ‘online’ (goparity.com/pt) que junta projetos de impacto social e ambiental à procura de financiamento a pessoas que queiram investir em negócios que promovam a sustentabilidade.

Esta ‘fintech’, ou ‘Impactech’, está sediada na Casa do Impacto, em Lisboa, “e tem como missão democratizar e desburocratizar o acesso destes projetos ao financiamento, bem como o acesso da sociedade civil a um investimento alternativo, permitindo carteiras a partir dos 20 euros”, adianta o referido comunicado.

“A GoParity é a primeira plataforma portuguesa de financiamento colaborativo onde qualquer cidadão pode ver as suas poupanças a serem rentabilizadas, com a vantagem de contribuir para um mundo melhor. Com este reconhecimento esperamos chegar a cada vez mais empreendedores e potenciais investidores para fazer crescer o ecossistema de impacto social e ambiental em Portugal e no mundo”, diz Nuno Brito Jorge, fundador e CEO da GoParity.

De acordo com o referido comunicado, esta ‘startup’, que nos últimos dois anos tem vindo a desenvolver um novo paradigma na área ‘fintech’, já conseguiu gerar mais de 1,5 milhões de euros para 25 projetos submetidos, a partir de mais de 2.800 investidores inscritos na plataforma e com um retorno na ordem dos 4-6% ao ano, de cerca de 211 mil euros”.

“Já foram investidos projetos tão diversificados como do fotovoltaico ao turismo sustentável; da mobilidade eléctrica à moda sustentável; das comunidades de talento rurais à indústria do mar”, assinalam os responsáveis da GoParity, que sublinham que “foi esta inclusão que lhes valeu o reconhecimento”, acrescentando que, “para além da participação assegurada nos WSA, a GoParity vai ter acesso a uma rede mundial de inovação e à possibilidade de estabelecer parcerias e novas oportunidades de negócio”.

Promovido pelas Nações Unidas, o WSA é um concurso anual que promove a inovação digital local com impacto global na sociedade, combinando um conjunto de eventos com uma rede global de empreendedores, peritos, mentores, líderes de governo, académicos e sociedade civil.

Em 2018, foram as ‘apps’ ‘Via Verde mobility digital ecosystem’ e ‘Body Interact’ que representaram Portugal na final mundial.

Em 2017, foram também vencedores outros dois projetos portugueses: a ‘SnapCity’ e a ‘Citypoints Cascais’, também eleita como um dos Global Champions do World Summit Awards.

A GoParity é a primeira plataforma portuguesa de acesso a investimento de impacto, com base num dos 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

Ler mais
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários