Governo da Madeira assina protocolo com Portugal IN para atração de investimento estrangeiro

A Portugal IN tem como um dos seus objectivos a “promoção de investimento” que queira permanecer na União Europeia na sequência do Brexit.

O Governo da Madeira vai assinar esta terça-feira um protocolo com a estrutura de missão Portugal IN, em Lisboa, que visa atrair investimento estrangeiro.

A Portugal IN é um estrutura de missão de tem como um dos seus objectivos a “promoção de investimento” que queira permanecer na União Europeia na sequência do Brexit.

É neste propósito e na visão estratégica do Governo Regional que visa a promoção “do crescimento económico e o fortalecimento do tecido empresarial regional” que é assinado esta terça-feira um protocolo com a Portugal IN.

Com este protocolo o executivo madeirense quer também “dinamizar a visibilidade nacional e regional” na atracção de investimento estrangeiro para a Região Autónoma.

Esta colaboração entre o Governo Regional e a Portugal IN surge depois de se conhecer que a economia madeirense já cresce há 59 meses e também na tendência de crescimento do turismo na Região Autónoma.

Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários