Governo da Madeira estabelece contrato-programa para criação de unidade de internamento para demência

O projecto da Casa de Saúde Câmara Pestana terá um apoio máximo de 635 mil euros.

O Governo Regional autorizou a celebração de um contrato-programa, num valor máximo de 635 mil euros, com a Casa de Saúde Câmara Pestana para a realização de um projecto que visa criar uma unidade de internamento para demências e ainda um fórum socio-ocupacional para pessoas com doença mental estabilizada.

A comparticipação financeira para o projecto será num montante máximo de 635 mil euros e tem como um dos objectivos “adversar as demências e minorar um dos principais e graves problemas de saúde pública” tendo em conta a dimensão destas patologias e a forma como afecta tanto o doente como os familiares, explica a portaria publicada em diário oficial.

O projeto inclui ainda uma requalificação e melhoria das instalações da Casa de Saúde e com isto dar uma resposta diferenciada na assistência a pessoas com doença mental.

A decisão foi tomada em conselho de governo numa reunião que aprovou a actualização do plano estratégico para o sistema regional de saúde.

Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários