Governo disponibiliza 600 mil euros para apoiar agricultores de Mação, Vila de Rei e Sertã

Esta decisão decorre da publicação, hoje, em Diário da República, de um despacho que reconhece este incêndio como “catástrofe natural”.

O Governo decidiu hoje, dia 6 de agosto, atribuir uma linha de apoio financeiro no valor de 500 mil euros para atribuir aos agricultores afetados pelo incêndio que percorreu os concelhos de Mação, Sertã e Vila de Rei entre os passados dias 20 e 23 de julho.

Esta decisão decorre da publicação, esta terça-feira, em Diário da República, de um despacho que reconhece este incêndio como “catástrofe natural”.

Segundo um comunicado do Ministério do Agricultura, “este despacho permite o acionamento da Medida 6.2.2. Restabelecimento do Potencial Produtivo, no âmbito do PDR [Programa de Desenvolvimento Regional] 2020, através da qual o Governo disponibiliza 500 mil euros para atribuir aos agricultores (…)”.

No entanto, esse mesmo comunicado garante que a dotação global disponível para este efeito está estabelecida “no valor de 600 mil euros” e “poderá ser reforçada, caso se verifique essa necessidade”.

Existem diversos níveis de apoio: 100% para prejuízos até 5 mil euros; 85% para prejuízos entre 5 mil e 50 mil euros; 50% para prejuízos entre 50 mil e 800 mil euros.

As candidaturas estão abertas até ao próximo dia 15 de setembro e toda a informação poderá ser consultada aqui. 

“Esta medida aplica-se a agricultores que sofreram prejuízos no potencial produtivo das suas explorações e destina-se a financiar perdas em culturas permanentes (vinha, olival e pomar), efetivos pecuários, equipamentos e maquinaria e instalações de apoio à atividade agrícola”, adianta o referido comunicado.

O ministério liderado por Luís Capoulas Santos esclarece que, “nesta situação estão os agricultores das freguesias da Fundada e de São João do Peso, no município de Vila de Rei; e das freguesias de Amêndoa e de Cardigos, no município de Mação, freguesias cujas áreas agrícolas e florestais ardidas ultrapassam dos 30% do seu território”.

“Para agricultores titulares de explorações situadas na freguesia do Carvoeiro, no município de Mação; na União de Freguesias da Cumeada e Marmeleiro e na União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais, no município da Sertã; e na freguesia de Vila de Rei, no município de Vila de Rei; freguesias cujas áreas agrícolas e florestais ardidas ficam aquém dos 30% do seu território, está disponível uma verba de 100 mil euros”.

O mesmo comunicado acrescenta que, adicionalmente, o Governo instalou, com o apoio do município de Vila de Rei, uma base logística para fornecimento de alimentação animal, estando disponíveis feno e açúcar (para alimentar abelhas), fornecidos pelo Ministério da Agricultura, além de diversos tipos de rações, solidariamente fornecidos por empresas da fileira.

Ler mais
Recomendadas

Governo abre concurso para contratar mais 200 sapadores florestais

A constituição destas novas 40 equipas envolve um montante de 2,6 milhões de euros, financiado pelo Fundo Florestal Permanente (FFP).

Indústria do tomate estima prejuízo diário de 4 milhões de euros com greve dos motoristas

Tendo em conta que a apanha do tomate decorre entre agosto e setembro e que este é um fruto de curta duração, os produtores estão “muito alarmados com a situação”, referiu o presidente da Associação dos Industriais de Tomate.

Cientistas lançam carta aberta de protesto sobre decisão do Tribunal de Justiça Europeu sobre genoma

Os cientistas europeus, incluindo 70 profissionais portugueses do setor, vão lançar uma carta aberta de protesto contra essa decisão, defendendo que as técnicas de melhoramento genético de alta precisão são fundamentais para a segurança alimentar e para o desenvolvimento científico e económico de Portugal e da Europa.
Comentários