Governo reafirma “compromisso com reformas”, após revisão em baixa das projeções da OCDE

A nova projeção da OCDE indica que o PIB português irá crescer 2,2%. Esta fica abaixo da estimativa do Governo, do Fundo Monetário Internacional e da Comissão Europeia, que alinham todos nos 2,3% de crescimento este ano.

Cristina Bernardo

O Governo considera que a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) reconhece os efeitos positivos das políticas em curso, mesmo tendo revisto em baixa as projeções para o crescimento económico de Portugal. Em comunicado após a divulgação do outlook da organização, o Ministério das Finanças reafirmou o compromisso com as reformas atuais.

A OCDE estima que o produto interno bruto (PIB) português cresça 2,2% tanto este ano, como no próximo, após os 2,7% registados em 2017. O valor representa uma diminuição de uma décima face à última projeção e o Governo considera que reflete “uma recuperação assente nas reformas iniciadas e beneficiando de melhores condições económicas, tanto do lado da procura externa, como da procura interna”.

“A OCDE reconhece ainda como positivos os efeitos da política orçamental em curso, moderadamente expansionista em 2018 e globalmente neutra em 2019, por forma a manter a sustentabilidade orçamental no médio-prazo, sem comprometer a recuperação da economia e permitindo consolidar a trajetória de redução da dívida pública”, refere o ministério das Finanças.

A nova projeção da OCDE fica abaixo da estimativa do Governo, do Fundo Monetário Internacional e da Comissão Europeia, que alinham todos nos 2,3% de crescimento este ano.

“O Governo reafirma o seu compromisso com as reformas em curso, prosseguindo a execução do Programa Nacional de Reformas para aumentar o crescimento potencial da economia, melhorar as condições do mercado de trabalho e consolidar as contas públicas”, acrescentou o ministério das Finanças.

Relacionadas

OCDE revê em baixa estimativa de crescimento da economia portuguesa para 2,2%

A OCDE está menos confiante que o Governo e que o Fundo Monetário Internacional. Espera que o produto interno bruto de Portugal cresça 2,2% este ano e no próximo, de acordo com os dados publicados esta quarta-feira.
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários