Governo Regional concede tolerância de ponto a 3 de agosto

A tolerância de ponto é devido à realização do Rali Vinho Madeira.

O Governo Regional vai conceder tolerância de ponto a 3 de agosto devido à realização do Rali Vinho Madeira, deliberou o conselho de governo.

Os organismos sob a tutela do estado terão tolerância de ponto a 3 de agosto, desde que estejam assegurados os serviços indispensáveis, refere o executivo madeirense.

Esta decisão do Governo Regional prende-se com a realização do Rali Vinho Madeira e ainda a “dinamização da
economia local”, explica o executivo.

Os serviços onde por motivo de interesse público tenham que estar em funcionamento a 3 de agosto têm de “criar as condições necessárias para que os seus trabalhadores possam gozar a tolerância” numa data posterior.

O conselho de governo decidiu ainda apresentar um louvor a atletas, técnicos e dirigentes da Associação da Madeira de Desporto para Todos e das Instituições Sociais que trabalham em parceria no projeto Futebol de Rua pelo título nacional.

Foi ainda apresentado outro louvor a Henrique Gomes por vencer o Campeonato da Europa de Jet Ski.

Ler mais
Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários