Greve da Ryanair deverá afetar 300 voos

Estruturas sindicais tinham exigido da administração da Ryanair melhores condições de trabalho e salariais, tendo dado o prazo de 30 de junho para que a equipa liderada por Michael O’Leary respondesse a essas reivindicações, o que não aconteceu.

A Ryanair deverá cancelar 300 voos nos dois dias de greve marcados para 25 e 26 de julho, avança a Reuters de acordo com informação da própria companhia aérea no Twitter. A paralisação dos trabalhadores da transportadora aérea deverá afetar três centenas de voos, entre os 2400 voos diários previstos para esse período.

Recorde-se que os tripulantes de cabine da transportadora aérea Ryanair vão fazer uma greve europeia nos próximos dias 25 e 26 de Julho informou o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC).

Em comunicado, o SNPVAC explica que as greves foram decididas pelos sindicatos de Portugal, Espanha e Bélgica. Itália também e junta ao protesto, mas só no dia 25.

As estruturas sindicais tinham exigido da administração da Ryanair melhores condições de trabalho e salariais, tendo dado o prazo de 30 de junho para que a equipa liderada por Michael O’Leary respondesse a essas reivindicações, o que não aconteceu.

Os representantes dos tripulantes de cabine das bases europeias e norte-africanas da Ryanair apresentaram esta quarta-feira em Dublin uma carta com 34 exigências à empresa.

Os “Tripulantes de Cabine Unidos” da Ryanair (CCU, na sigla em inglês), que representam mais de cinco mil trabalhadores, alertaram que poderiam parar no final de julho ou início de agosto.

Nesse sentido, a Ryanair pediu à Comissão Europeia e aos governos da União Europeia que “tomem medidas urgentes” para evitar o colapso do controlo do tráfego aéreo neste verão e “amortecer o impacto” nos “milhões de planos de férias” dos passageiros.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários