Hospitais e pontes de Londres com segurança reforçada

As pontes de Westminster e Waterloo Lambeth estiveram encerradas temporariamente durante a noite para instalação de barreiras protetoras de metal. As equipas de segurança de alguns hospitais da cidade reforçaram a presença nos recintos.

Reuters

A capital britânica não descansa depois de um fim de semana marcado por mais um atentado terrorista na cidade. Durante a noite, as pontes de Westminster e Waterloo Lambeth estiveram encerradas temporariamente para instalação de barreiras protetoras de metal, junto às quais se encontram grandes blocos de cimento para travar a entrada de veículos motorizados.

No dia anterior, as autoridades já tinham avisado que iriam ser colocadas “barreiras físicas” para proteger a população, mas sem especificar ainda quais. Por toda a cidade, nota-se um reforço policial, sobretudo em áreas públicas de maior dimensão, como estações ferroviárias e hospitais. As unidades hospitalares londrinas aumentaram as suas medidas de segurança após o ataque terrorista no sábado à noite, como por exemplo o Hospital de St. Thomas, para onde foram encaminhadas nove vítimas.

A fundação que gere este hospital adiantou que os serviços estão a funcionar normalmente, apesar de a segurança ser “elevada”, segundo uma publicação no Twitter. “Por favor, vá às consultas conforme planeado, mas traga as suas cartas de marcação e identificação com fotografia, se possível”, alertam os responsáveis. Também o Imperial College Healthcare instou os pacientes e visitantes a estarem “vigilantes”. Numa declaração publicada no site oficial, o hospital refere que “após os incidentes em London Bridge e Borough Market, a nossa própria equipa de segurança intensificará sua presença nos recintos”.

Na noite passada, o autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) reivindicou o atentado que vitimou pelo menos sete pessoas e feriu dezenas – pelo menos 48 – em Londres no sábado à noite, de acordo com a informação avançada pela Reuters citando a Amaq, agência de informação do grupo terrorista. “Uma unidade de combatentes do Estado Islâmico executou o ataque de ontem em Londres”, lê-se no comunicado divulgado no site da Amaq. As autoridades britânicas detiveram ontem 12 pessoas por suspeitas de estarem ligados aos ataques de ontem no centro da capital do Reino Unido.

A Polícia Metropolitana de Londres confirmou esta manhã a detenção sete homens e cinco mulheres com alegadas ligações ao grupo terrorista e adiantou que a carrinha branca onde os atacantes viajavam entrou na ponte London Bridge às 21:58 horas de sábado no sentido norte-sul, tendo a certa altura subido o passeio e atropelado vários transeuntes.

Ler mais
Relacionadas

Polícia de Londres responde a três “incidentes”. London Bridge está fechada

Uma carrinha atropelou várias pessoas junto da London Bridge, no centro de Londres, notícia a BBC. Outros dois “incidentes” foram reportados no Borought Market, mercado próximo da ponte, e na região de Vauxhall, no sul da cidade.

António Costa condena ataques contra a “liberdade e segurança” em Londres

Na sua conta oficial do Twitter, o primeiro-ministro escreveu: “A nossa tristeza e pesar estão com o povo britânico. A liberdade e a segurança são e serão sempre os nossos valores. Condenamos estes ataques”.

Daesh reivindica atentado em Londres

O autoproclamado Estado Islâmico, também conhecido por Daesh, reinvindicou o atentado de sábado à noite que vitimou sete pessoas, avança a agência Reuters.
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.
Comentários