Ifo: Confiança das empresas exportadoras alemãs cai em maio

O índice que mede a confiança as empresas exportadoras alemão está em queda. Mas por outro lado, o índice Ifo na Alemanha interrompeu em maio a tendência de queda que vinha a registar ao longo de cinco meses consecutivos, tendo atingindo 102.2 pontos (acima da previsão dos economistas contactados pela Bloomberg que apontava para 102.0 pontos).

Alemanha

A confiança das empresas exportadoras alemães continua a enfraquecer. As expectativas de exportação publicadas pelo Ifo  – instituto com sede em Munique – para a indústria caíram de 15,6 pontos em abril para 13,6 pontos em maio. O difícil ambiente económico global está a afectar cada vez mais os exportadores alemães.

As expectativas de exportação na indústria automobilística foram significativamente atenuadas. As empresas esperam um crescimento quase nulo. Em contrapartida, as empresas do setor de engenharia elétrica e mecânica antecipam um novo crescimento das exportações, embora aqui também o otimismo tenha enfraquecido. Os produtores de alimentos e bebidas, no entanto, expressaram expectativas mais otimistas para melhorar os negócios estrangeiros.

Índice Ifo interrompe a tendência de queda

O índice Ifo na Alemanha interrompeu em maio a tendência de queda que vinha a registar ao longo de cinco meses consecutivos, tendo atingindo 102.2 pontos (acima da previsão dos economistas contactados pela Bloomberg que apontava para 102.0 pontos), o mesmo valor do mês anterior, que foi entretanto revisto em alta. De acordo com este índice, três leituras consecutivas no mesmo sentido sinalizam uma tendência de queda ou de expansão, alertando de forma rápida para mudanças no ciclo económico. A análise dos dados do alemão Ifo, é feita pelo Caixa BI hoje.

Por outro lado, a componente do índice relativa às expetativas futuras atingiu apenas 98.5 pontos, em linha com as previsões, tendo-se deteriorado ligeiramente face à leitura do mês de abril (98.7 pontos). O  instituto refere que a economia alemã continua a ter uma boa performance apesar da “difícil situação internacional”, referindo que os indicadores económicos divulgados até ao momento sugerem que a maior economia da Zona Euro possa crescer 0.4% no segundo trimestre de 2018 face ao trimestre anterior. A componente do índice que avalia as expectativas atuais superou a previsão dos economistas, tendo atingido 106.0 pontos, e ficando acima do valor registado no mês anterior.

Segundo o Caixa BI, o índice revelou ainda que o sentimento económico se deteriorou ligeiramente no setor industrial apesar de se ter registado um aumento do nível de procura e de stocks. Pela positiva, salienta-se a melhoria da confiança económica no setor de serviços, no comércio e na construção que atingiu um novo máximo histórico em maio.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários