Indústria da cortiça pede mais 50 mil hectares de plantação de sobreiros

Portugal é líder mundial em produção e área de montado, com cerca de 100 mil toneladas extraídas e 700 mil hectares de área plantada.

No seguimento do anúncio do Governo, através do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, da intenção em apoiar a plantação de sobreiros em todo o território nacional, João Rui Ferreira, presidente da APCOR – Associação Portuguesa da Cortiça, anunciou que irá realizar, já na próxima semana, uma visita exploratória à zona do Pinhal Interior para perceber que áreas especificas poderão ser usadas para plantação de sobreiros, tendo já agendadas reuniões com várias autarquias da região.

O secretário de estado falava, em Santa Maria da Feira, a propósito do projeto-piloto de plantação de árvores de crescimento lento em redor de aldeias do Pinhal Interior, e que contempla, entre outras, a plantação de sobreiros. Miguel Freitas demonstrou total disponibilidade em colaborar com a APCOR no sentido de estender a plantação de sobreiros a todo o território português. “É fundamental que o setor industrial se envolva mais na produção florestal, e no setor da cortiça este é um cenário que devemos aprofundar”, realçou o governante após visitar algumas empresas do setor a convite da APCOR.

João Rui Ferreira  sublinhou ainda, nesta ocasião, que estamos a viver “um período único no setor da cortiça, a imagem nos mercados internacionais é muito positiva e a preferência de profissionais e consumidores é bastante clara, quer no mundo vinícola quer nas restantes aplicações. Tudo isto materializado com aumentos médios anuais das exportações na ordem dos 4,5%, durante os últimos 9 anos, sendo 2017 mais um ano recorde”. Razão pela qual entende ser “tempo de, em conjunto, encontrarmos formas de aumentar a disponibilidade de matéria-prima, numa visão nacional para o sobreiro e num esforço que possibilite manter esta rota de crescimento. A indústria está consciente da sua responsabilidade e o sinal dado”, conclui.

O presidente da APCOR pediu a Miguel Freitas o compromisso do Estado numa reforma que aposte na proteção e adensamento dos montados existentes, com particular ênfase no alargamento a novas áreas geográficas.

E neste capítulo, António Amorim, presidente do Conselho de Administração da Corticeira Amorim, acrescentou que em Portugal temos 2 milhões de hectares de floresta e, por isso, “parece-nos perfeitamente possível conseguir 50 mil para aumentar a produção. A verdade, é que conseguimos fazer muito com pouco e esses 50 mil hectares, com uma densidade que permita ao produtor florestal uma rendibilidade interessante e motivadora de uma aposta numa espécie nobre e tão adequada ao nosso território, irão permitir aumentar a produção em cerca de 30%”. Dessa forma, garante, “teremos uma resposta para os próximos 30 ou 40 anos”.

 

Ler mais
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários