‘Indústria’ de fundos imobiliários poderá valer 15 mil milhões em Portugal

De acordo com estas expetativas, os REIT, fundos de investimento imobiliário, poderiam movimentar mais do que o quádruplo do valor de investimento imobiliário comercial captado no mercado nacional em 2017.

Uma ‘indústria’ de fundos imobiliários pode ascender a uma dimensão entre 10 mil e 15 mil milhões de euros, de acordo com os principais ‘players’ e associações do setor imobiliário nacional, citados por um comunicado da Iberian REIT Conference, que terá lugar no hotel Villa Magna, em Madrid, no próximo dia 22 de março.

De acordo com estas expetativas, os REIT, fundos de investimento imobiliário, poderiam movimentar mais do que o quádruplo do valor de investimento imobiliário comercial captado no mercado nacional em 2017.

“Tais veículos, que de forma simplificada se resumem a sociedades de investimento imobiliário cotadas em bolsa, têm sido noutros países europeus, incluindo a vizinha Espanha, um veículo muito bem-sucedido de atração de capital estrangeiro para o imobiliário, com os investidores a destacarem a transparência, flexibilidade e simplicidade, quer a nível fiscal quer a nível de regulação, como as suas principais vantagens”, destaca um comunicado desta organização, coordenada pela Iberian Poperty, una iniciativa da publicação portuguesa Vida Imobiliária, e da EPRA – European Public Real Estate Association, a associação europeia de REIT.

“Este tipo de instrumento pode ter um impacto fenomenal na captação de novo investimento para o setor imobiliário português, funcionando como uma nova via para investir, de forma adicional, a outros instrumentos já existentes. O país tem hoje uma projeção internacional nunca antes vista e este é o momento para capitalizar o interesse crescente do capital estrangeiro, proporcionando alternativas mais alinhadas com a realidade europeia para entrar de forma segura no mercado português”, comenta António Gil Machado, diretor da Iberian Property, criada pela plataforma portuguesa de informação Vida Imobiliária para amplificar a visão do mercado imobiliário português numa abordagem ibérica.

“Em Espanha, a implementação de um regime REIT multiplicou fortemente o número de empresas imobiliárias cotadas e exponenciou a liquidez do mercado e a internacionalização do investimento imobiliário. O mesmo pode acontecer em Portugal. Trata-se de uma oportunidade reconhecida pelos principais ‘stakeholders’ do setor imobiliário português”, nota ainda António Gil Machado.

Segundo o comunicado da organização, “a conferência dará a conhecer os novos contornos da atividade de investimento ibérico, bem como as vantagens aportadas pelos veículos cotados rumo a um mercado mais transparente”, focando-se nos casos espanhol e português.

Ler mais
Relacionadas

Compradores franceses e brasileiros destacaram-se no mercado imobiliário em 2017

Em resposta à agência Lusa, João Pedro Pereira, membro da Comissão Executiva da ERA, informou que a empresa registou no ano passado cerca de 1300 imóveis vendidos a estrangeiros em todo o território nacional, “representando 6% da nossa faturação total nacional”.

Fusões e aquisições em Portugal sobem 60% em fevereiro

A transação do mês foi a conclusão da compra da 3Shoppings – dona dos centros comerciais Guimarães Shopping e Maia Shopping -, da Sonae Sierra, pela Ocidental Seguros, por 90 milhões de euros.

Incentivo ao investimento imobiliário: “É imperativo não nos acomodarmos”, realça especialista

É fundamental que se mantenha uma política de incentivo ao investimento imobiliário para manter Portugal no radar dos investidores.

‘Why Portugal’? Macedo Vitorino & Associados lança guia online para investidores estrangeiros

A plataforma digital “Why Portugal” disponibiliza informação sobre as condições económicas, políticas e jurídicas de Portugal.

Brasileiros e franceses compraram mais casas em Portugal

Lisboa e Faro são os distritos com maior número de investimentos realizados por clientes internacionais. Os investidores externos preferiram comprar T2 e T3.
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários