Investimento imobiliário aumenta 13,2% em 2017 para novo máximo histórico

Após o investimento global de 1,3 mil milhões de euros, no ano passado, o relatório ‘Global Investment Atlas 2018’ da Cushman & Wakefield estima que em 2018 se atinja um novo crescimento.

O investimento imobiliário global aumentou 13,2% em 2017 para 1,6 mil milhões de dólares (1,3 mil milhões de euros), segundo um relatório da Cushman & Wakefield divulgado esta segunda-feira. A consultora estima no seu “Global Investment Atlas 2018” que em 2018 se atinja um novo crescimento.

O investimento na Europa aumentou 7%, garantindo um aumento da quota de mercado para os 20%, com os países europeus a garantirem uma presença “relevante” no top das preferências dos investidores, com o Reino Unido, a Alemanha e Espanha a ocuparem os lugares principais no ‘ranking’.

Portugal garantiu a 25º posição em termos de volume total de investimento, de 2,1 mil milhões transacionados, o que representou um crescimento de 61% face ao ano anterior.

Os Estados Unidos mantiveram-se como o país com maior volume de investimento imobiliário, mas considerando o investimento em projetos de promoção, a China lidera o ‘ranking’.

No ‘ranking’ das cidades, a consultora destaca que Londres se tenha mantido como a cidade mais procurada pelos investidores estrangeiros, conseguindo ultrapassar os efeitos negativos do Brexit.

Madrid, por sua vez, registou uma subida surpreendente, passando do 45º lugar do ranking para o segundo.

Nova Iorque, por sua vez, tradicionalmente no “Top 3” do ‘ranking’, passou para o sexto lugar em termos de preferências de investidores estrangeiros.

Os setores tradicionalmente mais procurados pelos investidores, escritórios e retalho, segundo a consultora, perderam quota de mercado, com os ativos industriais e os terrenos para promoção a registarem maior crescimento.

Para 2018 espera-se um ligeiro crescimento dos volumes de investimento, inferior a 1%, mais acentuado na América Latina (5%) e na Europa e Ásia (2%).

“A Europa deve crescer a dois ritmos, com os países da Europa Central e de Leste a perspetivar um crescimento de 14,5%. Os mercados emergentes vão estar na mira dos investidores, com a Índia, Tailândia, Vietname, Filipinas, China, Rússia e Brasil a liderarem as preferências. As cidades de Lisboa e do Porto também devem receber atenção reforçada por parte do capital estrangeiro, particularmente no setor de escritórios em Lisboa e de logística no Grande Porto”, sinaliza.

Os setores de escritórios e de logística contam com maior potencial de procura, bem como os formatos alternativos: ativos hoteleiros, residências de estudantes, residências sénior, data centres, habitação para arrendamento ou parques de estacionamento.

“2018 será mais um bom ano para o mercado imobiliário mundial, suportado por níveis de liquidez ainda significativos, comportamentos favoráveis das economias e fortes expetativas de investimento corporativo, num enquadramento de escassez de mão-de-obra qualificada que vai exigir estratégias de retenção por parte das empresas, nomeadamente a nível dos espaços de trabalho”, refere.

Ler mais
Relacionadas

Immochan estuda criação de dois projetos na grande Lisboa, que podem ser escritórios

A empresa adquiriu os centros comerciais Forum Montijo, Forum Sintra e Sintra Retail Park. Em conjunto, estes três centros comerciais representam uma área de mais de 130 mil metros quadrados e registam um tráfego de cerca de 19,5 milhões de visitantes por ano

Fundos de Investimento Imobiliário com maior montante sob gestão em fevereiro

As estatísticas são da CMVM. Em fevereiro de 2018, o valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário; dos fundos especiais de investimento imobiliário e dos fundos de gestão de património imobiliário atingiu 10.832,3 milhões de euros, mais 29,9 milhões (0,28%) do que em janeiro.

Smart Cities: tecnologia está a revolucionar forma de viver e trabalhar em Cascais

Estratégia do município de Cascais em compatibilizar desenvolvimento tecnológico com um elevado padrão de qualidade de vida garantiu-lhe a participação no MIPIM, a maior feira internacional do setor imobiliário que decorre em Cannes até 16 de março.
Recomendadas

Três Dolce Vita colocados à venda por 15 milhões de euros

Em todos os casos, caso não hajam ofertas superiores ao valor mínimo, serão admitidas propostas mais baixas.

Savills fica responsável pela gestão do edifício Atlas III

Atlas III, em Miraflores, é o mais recente empreendimento sob a gestão da Savills.

Dona da Comporta estuda “projeto estratégico” a preços acessíveis no Parque das Nações

A Vanguard Properties quer construir três prédios no total, com o valor do investimento a rondar os 30 a 35 milhões de euros.
Comentários