“Irmãs do Vale” criam e vendem produtos à base de canábis

Missão passa por findar o estigma criado sobre o canábis e criar postos de trabalho para mulheres que acreditam nos poderes de cura desta planta.

Com sede no Vale Central, na Califórnia, as “Irmãs do Vale” traduzem-se num grupo espiritual e ativista, sem relação com qualquer religião, que tem como objetivo a produção e venda de produtos medicinais a partir de plantas, incluindo a marijuana, noticia o Observador.

Com a missão de acabar de vez com o estigma criado sobre o canábis e criar postos de trabalho para as mulheres que acreditam nos poderes curativos desta planta, a organização faturou, no ano passado, cerca de 750 mil dólares (cerca de 665 mil euros).

Fundada por Christine Meeusen, intitulada de Irmã Kate, as “Irmãs do Vale” são constituídas por mais sete mulheres 100% empenhadas no cultivo, processamento, infusão, embalagem e envio dos produtos medicinais.

Sabonetes, óleos, pomadas e sprays são alguns dos seus produtos desenvolvidos a partir do canábis. Seguem um calendário lunar para fabricar a mercadoria e “bezem-na” antes de cada passo do seu processo de fabrico, com o objetivo de aumentar as qualidades medicinais de cada um deles, relata o mesmo jornal.

Conforme revelaram as “Irmãs”, os produtos ajudam a acalmar a dor, evitam que a doença seja prolongada e aliviam o stress pós-traumático.

“No futuro vamos descobrir que fomos criados para consumir estes medicamentos e que funcionamos melhor enquanto sociedade se adotarmos uma medicina e uma dieta baseada em plantas”, salientou a fundadora à agência Efe.

Ler mais
Recomendadas

Vistos gold: Investimento captado mais do que triplicou em julho para 98,2 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ mais do que triplicou (aumentou 276%) em julho, face ao período homólogo de 2018, para 98,2 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Número de viciados em jogo online aumentou mais de 8% em Portugal

No espaço de seis meses, 38.600 pessoas pediram para ser impedidas de jogar online, mais 3.200 pessoas face a 2018, uma subida de 8,3%.

Avião de carga aterrou de emergência no aeroporto do Porto  

Um avião de carga com dois tripulantes fez hoje uma “aterragem de emergência” em segurança no aeroporto do Porto devido a um “problema no motor”, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.
Comentários