Já existem raios-X a cores

Uma empresa neozelandesa foi a primeira a encontrar um meio de fazer radiografias a cores do corpo humano através de um scanner médico avançado. O dispositivo utiliza a tecnologia Medipix 3 que está em desenvolvimento no CERN há 10 anos para responder às necessidades da detecção de partículas do acelerador Large Hadron Collider.

Esta tecnologia é capaz de produzir imagens de alta resolução através do rastreamento de partículas. Os dispositivos com a tecnologia Medipix funcionam como uma câmara que consegue identificar partículas subatómicas individuais quando estas entram e contacto com o sensor enquanto obturador está aberto.

De acordo com Phil Butler, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do scanner, o chip Timepix 3 é o verdadeiro responsável por este avanço. Segundo ele: “Os pixeis pequenos e a resolução precisa querem dizer que esta nova ferramenta de imagiologia é capaz de produzir imagens como mais nenhuma hoje em dia.”

timepix

O Timepix, um dos chips utilizados na plataforma Medipix. Ao combinarem a informação produzida pelo chip com os algoritmos proprietários, os cientistas da MARS conseguiram produzir imagens tridimensionais a cores onde se consegue distinguir a gordura, água e indícios de doenças.

Existe uma versão mais pequena do dispositivo que tem sido usada para o estudo do cancro e doenças vasculares que já produziu resultados promissores e, graças ao acordo entre a MARS, a produtora do novo dispositivo, e o CERN, esta tecnologia será comercializada em breve. Em breve este scanner será utilizado nos primeiros testes clínicos que se irão focar nas especialidades de reumatologia e o ortopedia.

Mais informação aqui.

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

“Dietas milagrosas” contrariam forma saudável de perder peso, alerta Deco

Para perder peso e manter a saúde, a dieta deve ser variada, eliminar os alimentos hipercalóricos, contemplar nunca menos de 1200 quilocalorias diárias (no caso das mulheres) e 1500 quilocalorias (no caso dos homens).

Gastos irregulares de cinco hospitais públicos sob suspeita

Inspeção-Geral das Atividades em Saúde realizou auditorias a cinco hospitais públicos e encontrou gastos irregulares no valor de 23,5 milhões de euros. 

Saúde. Privados investem 750 milhões de euros na criação de 19 hospitais até 2020

O grande reforço da oferta privada é em Lisboa e no Porto. Mas também há uma aposta em novas regiões como na Madeira, Açores, Vila Real ou Viseu, de acordo com o presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada, Óscar Gaspar.
Comentários