LEGO quer usar apenas materiais amigos do ambiente até 2023

Empresa prepara-se para lançar as primeiras peças de plástico feitas à base de plantas.

Utilizar apenas materiais sustentáveis nos produtos mais comercializados é a meta que a LEGO quer por em prática até 2030.

A empresa anunciou que está já a produzir algumas peças dos seus kits com base em polieteleno derivado de cana de açúcar. A LEGO planeia lançar elementos botânicos como árvores, folhas e arbustos fabricados com plástico à base de plantas originárias da cana-de-açúcar este ano.

O objetivo é substituir o plástico derivado do petróleo por um polímero obtido através do processamento de cana de açúcar. Atualmente apenas 1 a 2% de todas as peças Lego são produzidas à base de plantas originárias da cana-de-açúcar.

Em comunicado a marca explicou recentemente que este polímero é obtido através do etanol produzido pela cana de açúcar, numa produção sustentável controlada e certificada por duas organizações ambientais: Bioplastic Feedstock Alliance e Bonsucro Chain of Custody.

“É essencial que as empresas de cada indústria encontrem formas de criar de forma responsável os materiais do seu produto e ajudar a garantir um futuro onde as pessoas, a natureza e a economia prosperam”, desafiou Alix Grabowski, diretor sénior de programas da WWF.

“A decisão do grupo LEGO usar plásticos baseados em fontes sustentáveis representa uma oportunidade incrível para reduzir a dependência dos recursos finitos e o seu trabalho com a Aliança Bioplastic Feedstock permitirá que eles se conectem com outras empresas para continuar a pensar de forma criativa sobre sustentabilidade”, acrescentou.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários