Leitão Amaro diz que mudanças no IRS agravaram as desigualdades

“Ficámos a saber, pela Comissão Europeia, que também as mudanças operadas para 2018, em sede de escalões de IRS, agravaram as desigualdades”, referiu o vice-presidente do Grupo Parlamentar , acrescentando que será solicitada a divulgação do estudo.

Cristina Bernardo

“O PSD vai solicitar, “com urgência”, a divulgação da avaliação feita pela Comissão Europeia que aponta para o aumento das desigualdades após mudanças feitas em sede de IRS”, diz o partido em comunicado.

O vice-presidente do Grupo Parlamentar António Leitão Amaro, diz numa nota enviada às redações que “estamos perante consequências inaceitáveis”, lembrando que os impostos indiretos têm sido o essencial da política da atual solução governativa.

O deputado destacou, também, que “toda a política fiscal do Governo está a agravar as desigualdades”, estando por isso “em contraciclo com a economia e com aquilo que as empresas querem fazer”.

Recordando que os impostos (que incidem, por exemplo, sobre os combustíveis) foram agravados, o vice-presidente da bancada do PSD referiu que estes impostos indiretos têm sido “o essencial, até agora, da política fiscal do Governo”. E explicou que “um imposto indireto é pago da mesma forma, com o mesmo valor”, penalizando “mais quem é mais pobre”.

“O PSD já sabia que o Governo das esquerdas, quando decidiu em 2016 agravar os impostos indiretos, aumentou as desigualdades”, disse esta sexta-feira em declarações aos jornalistas o vice-presidente do Grupo Parlamentar, António Leitão Amaro.

“Ficámos a saber, pela Comissão Europeia, que também as mudanças operadas para 2018, em sede de escalões de IRS, agravaram as desigualdades”, referiu, acrescentando que será solicitada a divulgação do estudo.

“Vamos através dos eurodeputados do PSD pedir, com urgência, à Comissão Europeia” que divulgue a avaliação sobre as mudanças introduzidas em sede de IRS, pela atual solução governativa”, anunciou o social-democrata.

Segundo António Leitão Amaro, os dados vindos a público apontam, assim, para o aumento das desigualdades e das “injustiças já existentes”. “O que temos hoje é um resumo do estudo”, disse, acrescentando que o PSD vai solicitar, também, “informações sobre esta matéria à Autoridade Tributária e ao Gabinete de Estudos do Ministério das Finanças”.

António Leitão Amaro referiu-se ao documento divulgado com um “poderoso estudo”, e “agora que começamos a ter avaliações técnicas, confirma-se tudo aquilo em relação ao qual nós alertámos”, referiu.

 

 

Ler mais
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários