Lesados Banif e Santander Totta acusam: houve 99% de desconto na aquisição do Banif Bahamas

A Associação diz que “dada a relevância e gravidade da questão em causa, vai pedir uma audiência ao Banco de Portugal assim como ao Ministério das Finanças  tendo em vista também ter acesso ao documento de formalização da venda da participação acionista do Banif International Bank,

A Associação de Lesados Banif e Santander Totta acusa de ter havido um desconto de 99% na compra da participação acionista do Banif International Bank, a entidade bancária sediada nas Bahamas que foi vendida ao Santander à data da resolução do ex-Banif.

A Associação diz que este ativo do Banif Finance comprado pelo Santander Totta, “valia 18,3 milhões de euros, de acordo com o último Relatório Financeiro de Junho 2015. Ou seja, a compra daquele ativo do Banif Finance pelo Santander-Totta fez-se por menos de 1% do seu valor real! Ou seja, um desconto de 99%!”, acusa a associação.  Pois a venda daquele ativo “foi feita pela ridícula quantia de 90 mil euros”.

“O surpreendente negócio que agora vem a público surge na sequência da operação altamente proveitosa para aquele banco de capital espanhol: a compra (cedência) da parte saudável do ex-Banif pelo Santander-Totta em Dezembro de 2015. Escassos meses depois, aparentemente no segundo semestre de 2016, eis um novo, discreto e excelente negócio para o Santander à custa dos credores, isso quando já se agravava cada vez mais o cenário de incumprimento para com os obrigacionistas Banif Finance (entre os quais muitos associados da ALBOA). Com esta venda ao Santander-Totta os Lesados Banif perdem efetivamente, mais uma vez, uma parte importante dos ativos que poderiam responder pelos seus créditos”, diz a associação em comunicado.

“Dada a relevância e gravidade da questão em causa, a ALBOA vai pedir uma audiência ao Banco de Portugal assim como ao Ministério das Finanças  tendo em vista também ter acesso ao documento de formalização da venda em causa”, conclui a associação dos lesados.

Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários