Limpeza das matas: GNR anulou 535 dos 1.946 autos de contraordenação

Até 30 de junho, o número de autos registados pela GNR aumentou para 3.390, distribuídos pela rede viária (176), rede ferroviária (21), rede de transporte de energia elétrica (51) e rede de transporte de gás natural (3).

A Guarda Nacional República (GNR) anulou 535 dos 1.946 autos de contraordenação por falta de limpeza dos terrenos florestais, indicando que este ano foram já detidas 79 pessoas no âmbito da vigilância das florestas, foi hoje anunciado.

De acordo com o comandante-geral da GNR, Luís Botelho Miguel, foram recebidas este ano 3.818 denúncias relacionadas com a defesa da floresta contra incêndios, o que representa já mais de 2.000 denúncias em comparação com as 1.740 registadas em 2017.

Na apresentação de resultados das iniciativas sobre prevenção e combate a incêndios, que decorreu em Lisboa, a GNR revelou que foram levantados, até 31 de maio deste ano, 1.946 autos por falta de limpeza de terrenos, “dos quais 535 foram já anulados”.

Até 30 de junho, o número de autos registados pela GNR aumentou para 3.390, distribuídos pela rede viária (176), rede ferroviária (21), rede de transporte de energia elétrica (51) e rede de transporte de gás natural (3).

A fiscalização da GNR resultou ainda em processos de contraordenação relacionados com queimadas (274) e queima de sobrantes e realização de fogueiras (132), avançou o comandante-geral.

Da vigilância das florestas, este ano foram detidas 79 pessoas, o representa mais 60 pessoas detidas em comparação com as 19 detidas durante 2017.

No âmbito da defesa da floresta contra incêndios, até junho deste ano, foram identificadas 680 pessoas, registadas 6.108 ocorrências, 3.053 crimes e 3.941 contraordenações, com a participação de 20.769 patrulhas, indicou Luís Botelho Miguel.

Ler mais
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários