Lisboa sobe 5 posições na lista das cidades com melhor qualidade de vida

A capital portuguesa encontra-se na 38.ª posição, acima de cidades como Paris, Londres, Milão, Madrid e Nova Iorque, de acordo com a 20.ª edição do estudo anual Quality of Living da Mercer.

Apesar da volatilidade económica na Europa, devido às incertezas em torno do Brexit, e da instabilidade política na região em geral, muitas das cidades europeias continuam a oferecer as melhores condições de qualidade de vida e continuam a ser destinos muito atractivos para expatriados, de acordo com a 20.ª edição do estudo anual Quality of Living da Mercer.

A cidade de Viena, Áustria, lidera o ranking pelo 9.º ano consecutivo, seguida por Zurique (2.º lugar), Auckland e Munique, ambas em 3.º lugar. Vancouver completa o top das cinco melhores cidades, apresentando-se como a cidade norte-americana melhor posicionada no ranking. Singapura (25.º lugar) e Montevideu (77.º lugar) são as cidades mais bem classificadas na Ásia e América Latina, respetivamente.

“Com o aumento da globalização e as alterações demográficas da força de trabalho – atrair e reter pessoas é um dos principais desafios para as empresas nos próximos cinco anos”, refere Diogo Alarcão, CEO da Mercer Portugal. “Isto é tanto mais verdade se pensarmos que estamos a assistir a um fenómeno em que a força de trabalho é cada vez mais díspar, móvel, fortemente exposta ao digital e com necessidades e aspirações muito diferentes no que se refere à carreira, estilo de vida e, finalmente, onde e como quer trabalhar. É fundamental que as empresas considerem estes fatores na sua proposta de valor, quer para os seus colaboradores locais, como para os expatriados”, acrescenta o responsável.

O estudo da Mercer é um dos mais abrangentes e completos do Mundo. É realizado anualmente para que empresas multinacionais e outras organizações sejam competitivas na compensação dos seus colaboradores de uma forma justa sempre que os destacam para o estrangeiro em trabalho. Além das importantes informações que facultam, os estudos Quality of Living da Mercer fornecem recomendações premium para mais de 450 cidades em todo o mundo. O ranking deste ano inclui 231 dessas cidades.

Na Europa, Viena continua a ser a cidade com melhor qualidade de vida na Europa e a nível global, fornecendo a residentes e expatriados um elevado nível de segurança, transportes públicos bem estruturados, bem como uma grande variedade de instalações culturais e de entretenimento.

Munique, na Alemanha, subiu para a 3.ª posição, uma vez que ao longo do tempo a cidade tem realizado um esforço concertado para atrair talento e empresas, investindo continuamente em infraestruturas de alta tecnologia e promovendo as suas instalações culturais. Como resultado do ataque terrorista em Estocolmo (23.º lugar), a cidade caiu três lugares na tabela, enquanto Oslo (25.º lugar) e Lisboa (38.º lugar) subiram a sua classificação seis e cinco posições, respetivamente. Londres permanece mais abaixo na lista, devido a questões persistentes que se prendem com o congestionamento de tráfego e a poluição do ar, caindo uma posição para o 41.º lugar.

O ranking referente ao saneamento revela que algumas cidades do Norte da Europa posicionam-se entre o Top 10 global, com Helsínquia em 2.º lugar e Copenhaga, Oslo e Estocolmo, em 8.º lugar.

Lisboa surge classificada em 38.º lugar do ranking, subindo cinco lugares relativamente ao ano anterior. Esta variação foi motivada pela melhoria na classificação da categoria associada ao crime na cidade que melhorou face ao ano anterior. Com esta subida, a capital portuguesa conseguiu ultrapassar cidades como Paris (39.º lugar), Londres (41.º lugar), Milão (42.º lugar) e Barcelona (43º. Lugar) e manter-se acima de cidades como Madrid (49.º lugar) e Nova Iorque (45.º lugar). Relativamente ao nível do saneamento, Lisboa encontra-se em 59º lugar, acima de cidades como Barcelona (61.º), Londres (67.º) e Roma (77.º).

Na América do Norte, as cidades canadianas ocupam os lugares cimeiros no que se refere à qualidade de vida, com Vancouver (5.º lugar) a assumir novamente o top regional. Na América do Sul, Montevideu (77.º lugar) posiciona-se no topo do ranking da qualidade de vida, seguida por Buenos Aires (91.º lugar) e Santiago (92.º lugar).

O Dubai (74.º lugar) continua a ser a cidade com melhor qualidade de vida no Médio Oriente, seguido de perto por Abu Dhabi (77.º lugar), que subiu duas posições. Damasco (225.º lugar), Sana’a (229.º lugar) e Bagdade (231.º lugar) são as três cidades com pior classificação no que se refere à qualidade de vida da região.

Port Louis (83.º lugar) é a cidade africana com melhor qualidade de vida, seguida por Durban (89.º lugar), Cidade do Cabo (94.º lugar) e Joanesburgo (95.º lugar). Na região da Ásia-Pacífico, Singapura continua a ser a cidade com melhor classificação, ocupando o 25.º lugar.

A Nova Zelândia e a Austrália continuam a estar no topo do ranking de qualidade de vida com Auckland (3.º lugar), Sydney (10.º lugar), Wellington (15.º lugar) e Melbourne (16.º lugar) a permanecerem no top 20.

Ler mais
Recomendadas

Vistos gold: Investimento captado mais do que triplicou em julho para 98,2 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ mais do que triplicou (aumentou 276%) em julho, face ao período homólogo de 2018, para 98,2 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF.

Número de viciados em jogo online aumentou mais de 8% em Portugal

No espaço de seis meses, 38.600 pessoas pediram para ser impedidas de jogar online, mais 3.200 pessoas face a 2018, uma subida de 8,3%.

Avião de carga aterrou de emergência no aeroporto do Porto  

Um avião de carga com dois tripulantes fez hoje uma “aterragem de emergência” em segurança no aeroporto do Porto devido a um “problema no motor”, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.
Comentários