Madeira reeleita para vice-presidência da Comissão das Ilhas

A secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais voltou a reforçar a posição do Governo Regional que se tem mostrado contra os cortes propostos pela União Europeia nos fundos de coesão durante a Assembleia Geral da Comissão das Ilhas.

A Madeira foi reeleita para a vice-presidência da Comissão das Ilhas. Na assembleia geral da Comissão das Ilhas da Conferência das Regiões Ultraperiféricas e Marítima, que se realiza em França, a secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais, Susana Prada, criticou a proposta da União Europeia que prevê cortes no fundo de coesão.

 

“Foi com grande apreensão que verificamos que do ponto de vista orçamental a dotação da Política de Coesão foi drasticamente penalizada, funcionando como variável de ajustamento, questão que mereceu desde o primeiro momento o nosso total repúdio”, afirmou Susana Prada durante a Assembleia Geral da Conferência das Regiões Ultraperiféricas.

A governante diz que “não é aceitável” que se proceda a cortes no fundo de coesão que visa apoiar os estados membros mais pobres reforçando a posição do Governo Regional que alerta “para a necessidade de se manter o apoio actual” nesta rubrica.

A manutenção das taxas de co-financiamento tradicional para as RUP na Política de Coesão nos 85% foi também outras das medidas defendidas por Susana Prada.

A Assembleia Geral reelegeu ainda a Madeira para a vice-presidência da Comissão das Ilhas que será representda pelo presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, que integra a direcção política deste organismo. O presidente Gilles Simeoni foi também reconduzido no cargo de presidente.

A Comissão das Ilhas aprovou ainda uma posição política que alerta para ” o facto de os novos regulamentos da coesão não levarem suficientemente em conta as especificidades e constrangimentos destes territórios”. Este organismo reivindica ainda “um tratamento semelhante ao proposto para as nove Regiões Ultraperiféricas”.

Ler mais
Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários