Madeira: utilização de meios aéreos no combate a incêndios é possível

Relatório do Ministério da Administração Interna dá conta dessa possibilidade. Executivo madeirense vai apresentar proposta de implementação destes meios.

É possível usar meios aéreos em áreas florestais e urbanas na Madeira. O anúncio foi feito, esta tarde, pela Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais.

De acordo com a tutela de Rubina Leal, o governo madeirense recebeu, esta terça-feira, o relatório do Ministério da Administração Interna que dá conta desta possibilidade, tendo em conta as especificidades do território.

Diz ainda a Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais que o Executivo madeirense vai criar “de imediato uma estrutura de missão que, em 60 dias, apresentará uma proposta de implementação destes meios de combate a incêndios, onde custos, recursos e ações a desencadear estarão claramente identificadas”.

Essa proposta deverá conter um cronograma de ações a desencadear, a fim de estarem reunidas as condições consideradas necessárias e que constam das recomendações do referido relatório. Depois de analisados os elementos que forem propostos pela estrutura de missão, cabe ao Conselho do Governo deliberar sobre esta matéria, informa a secretaria tutelada por Rubina Leal.

Recorde-se que a Região tem em funcionamento, desde o passado dia 15 e até outubro próximo, o Plano Operacional de Combate a Incêndios Florestais (POCIF).

O patrulhamento e vigilância das serras madeirenses envolve todas as corporações de bombeiros da Região, polícia florestal e GNR. No total, são 180 pessoas, distribuídas por 12 equipas, que de forma permanente têm como missão patrulhar, detetar e extinguir focos de incêndio.

Ler mais
Relacionadas

Madeira reforça vigilância nas serras

12 Equipas de agentes de Proteção Civil vão patrulhar as serras 24 horas/dia até outubro
Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários