Manuel Pinho está prestes a voltar a ser arguido

Transferências para offshores sustentam nova constituição do ex-ministro como arguido no caso EDP, independentemente de recurso junto da Relação.

O Ministério Público (MP) prepara-se para constituir Manuel Pinho novamente como arguido, independentemente de vir a recorrer da decisão do juiz Ivo Rosa que declarou nula a constituição do ex-governante, no verão passado, como arguido no caso EDP, revelou ao Jornal Económico fonte judicial.

Segundo a mesma fonte, em causa estão “novos factos” recolhidos recentemente pelos procuradores do inquérito às rendas excessivas, no processo  que investiga o Universo Espírito Santo,  que  passam  por transferências para  offshores que pertencem a Pinho, num montante da ordem dos 3,5 milhões de euros.  Deste valor, que tem origem no ‘saco azul’ do BES,  o  ex-governante recebeu um total de cerca 1,8 milhões de euros através  de duas offshores para onde eram  transferidos mensalmente de cerca de 15 mil euros entre julho de 2002 e junho de 2012.

“A decisão do juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal não impede que [Manuel Pinho] seja constituído arguido por outros factos”, revela esta fonte, acrescentando que  “tal pode ser feito, independentemente da decisão do Tribunal da Relação de Lisboa”.

 

Artigo publicado na edição semanal do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Relacionadas

Costa: “O PS tem um longo historial de combate à corrupção”

Questionado pela SIC sobre casos recentes relacionados com membros do PS, o primeiro-ministro afirmou considerar que não fragilizam o partido.

José Sócrates: “Lamento que o PS se junte à direita na condenação”

“O PS não se comportou como devia”, revelou o ex-primeiro-ministro em entrevista à revista ‘Visão’.

Comissão de Inquérito às rendas excessivas ao setor da energia toma posse esta quarta-feira

O grupo de investigação tem como objetivo apurar a “existência de atos de corrupção ou enriquecimento sem causa de responsáveis administrativos ou titulares de cargos políticos com influência ou poder na definição das rendas no setor energético”.
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários