Manuel Pinho ouvido terça-feira de manhã no DCIAP e à tarde no Parlamento

Assim, o ex-ministro da Economia de José Sócrates estará na terça-feira de manhã, às 10h00, no DCIAP e às 15h00 no parlamento.

O ex-ministro da Economia Manuel Pinho vai ser interrogado na terça-feira, às 10:00, no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), em Lisboa, no mesmo dia em que vai ser ouvido na comissão de Economia, no parlamento.

O advogado Ricardo Sá Fernandes adiantou à agência Lusa que a audição de Manuel Pinho na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas já estava agendada há algum tempo e que o Ministério Público decidiu marcar este interrogatório “de supetão”.

Assim, o ex-ministro da Economia de José Sócrates estará na terça-feira de manhã, às 10:00, no DCIAP e às 15:00 no parlamento.

De acordo com o advogado, a chegada de Manuel Pinho a Lisboa está prevista para hoje, devendo Sá Fernandes encontrar-se com o seu cliente até ao final do dia.

Em 29 de junho, o deputado Hélder Amaral, que preside à comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, revelou que a data da audição de Manuel Pinho nesta comissão foi combinada entre as partes e na sequência de um requerimento do PSD, votado favoravelmente em 02 de maio.

Com a abstenção do Bloco de Esquerda (BE), o documento dos sociais-democratas foi aprovado para que o antigo governante possa “esclarecer cabalmente” decisões tomadas enquanto esteve no governo, nomeadamente no setor energético, e o alegado relacionamento com o Grupo Espírito Santo (GES), segundo “suspeitas que têm vindo a público”.

Em maio, em comunicado, o advogado de Manuel Pinho, Ricardo Sá Fernandes, revelou que o ex-ministro, que deixou de ser arguido no caso EDP, estaria disposto a prestar “todos os esclarecimentos” aos deputados, mas só depois de ser interrogado pelo Ministério Público.

Em 19 de abril, o jornal ‘online’ Observador noticiou as suspeitas de Manuel Pinho ter recebido, de uma empresa do GES, entre 2006 e 2012, cerca de um milhão de euros.

Os pagamentos, de acordo com o jornal, terão sido realizados a “uma nova sociedade ‘offshore’ descoberta a Manuel Pinho, chamada Tartaruga Foundation, com sede no Panamá, por parte da Espírito Santo (ES) Enterprises — também ela uma empresa ‘offshore’ sediada no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas e que costuma ser designada como o ‘saco azul’ do Grupo Espírito Santo”.

Ler mais
Recomendadas

Combustíveis: Regulador vai fiscalizar aumentos durante a greve de motoristas

A ENSE considera que uma vez decretada a crise energética devido à greve dos camionistas de matérias perigosas, tal implica a implementação de condições excecionais para abastecimento dos postos de combustível em território nacional.

Efacec reforça presença na Tunísia com obras em 25 subestações elétricas

Este conjunto de subestações integra a Rede de Transporte de Energia Elétrica Tunisina e resulta no âmbito do contrato assinado com a STEG – Société Tunisienne de l’Electricité et du Gaz.

Preço do petróleo terá de baixar para competir com tecnologias do futuro

“A nossa análise leva a uma conclusão muito dura para a indústria do petróleo. Para o mesmo desembolso de capital hoje, a energia eólica e solar produzirão energia mais útil para os veículos elétricos do que o petróleo comprado no mercado”, sublinhou Mark Lewis, chefe do gabinete de investigação sustentável do BNP Paribas.
Comentários