25 de Abril: Marcelo invoca transparência do poder político contra populismos e nacionalismos

Presidente da República alerta para o perigo de “radicalismos egoístas e excedentes, racismo e xenofobia, messianismos que da democracia apenas gostam de usar o que lhes convenha.”

Cristina Bernardo

“Importa que todas as estruturas do poder político, do topo do Estado à administração pública e, naturalmente, aos tribunais, entendam que devem ser muito mais transparentes, rápidas e eficazes na resposta aos desafios e apelos deste tempo, revendo-se, reformando-se, ajustando-se,” declarou hoje Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, na sessão solene comemorativa da revolução do 25 de abril em plena Assembleia da República.

Na perspetiva de Rebelo de Sousa, “os chamados populismos alimentam-se das deficiências, lentidões, incompetências e irresponsabilidades do poder político. E da sua confusão ou compadrio com o poder económico e social.” No início do discurso discurso, o Presidente da República alertara para a emergência de um tempo de “empobrecimento ético e doutrinário” que poderá “abrir caminho a radicalismo egoístas e excedentes, racismo e xenofobia, messianismos que da democracia apenas gostam de usar o que lhes convenha.”

Recomendadas

No 25 de Abril, tem-se…

A Liberdade em Portugal fez ontem 43 anos. Veja as melhores imagens.

António Costa ficou fechado em casa de uma amiga no 25 de abril

António Costa explicou como foi a sua experiência de vida no dia que marcou a revolução dos cravos, há 43 anos.

25 de Abril: Marcelo pede ao Governo “maior criação de riqueza e melhor distribuição”

Jerónimo de Sousa considerou ser “uma declaração importante que precisa de ser concretizada” e reivindicou “medidas concretas.” Deputados do BE e do PCP não aplaudiram o discurso do Presidente da República.
Comentários