Medina é oficialmente candidato a Lisboa. Transportes e mobilidade serão prioridades

Fernando Medina foi apresentado pelo antecessor António Costa, na qualidade de secretário-geral do PS, que não lhe poupou elogios e disse que o seu ex-número dois não se ficou por “gerir a herança”.

O atual autarca lisboeta formalizou a candidatura às autárquicas de 1 de Outubro como cabeça de lista do PS a Lisboa e já definiu a prioridade que passará pela “promoção do transporte público”.

Fernando Medina foi apresentado pelo antecessor António Costa, na qualidade de secretário-geral do PS, que não lhe poupou elogios e disse que o seu ex-número dois não se ficou por “gerir a herança”.

Para Costa que levou Medina para os Passos do Concelho em 2013, o economista é candidato por “mérito próprio” e que ao contrário de outros não entra na corrida para saber “qual a direito é mais popular em Lisboa”, esta tarde.

Medina apresentou em traços largos as propostas da candidatura, com a certeza que está definida a “prioridade clara: a promoção do transporte público” uma vez que a “situação atual é totalmente insustentável”.

O presidente da Câmara de Lisboa salientou que o número de veículos que entra diariamente em Lisboa levanta questões que necessitam de resposta, exemplificando que se fossem alinhados em fila constituiriam os quilómetros que distanciam Lisboa de Paris.

“Entram por dia mais 15 mil automóveis em Lisboa” que há dois anos, disse o autarca, frisando que existe “um programa bem delineado para o futuro da Carris”. Sublinhou que o problema não se prende somente com os veículos ligeiros, mas também com o transporte público pesado na Área Metropolitana de Lisboa, ou recuperar o sistema de elétricos.

“A solução não é construir mais avenidas, mais largas, é uma resposta estruturada aos transportes”, disse.

(Em atualização)

 

Ler mais
Relacionadas

Silêncio de Medina chega ao fim. Candidatura oficial a Lisboa arranca hoje

Filho de dois históricos comunistas, foi através do atual secretário-geral das Nações Unidas que Medina se aproximou do PS.
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários