Melom e Querido faturam 10 milhões entre janeiro e maio

A 1ª rede de obras em Portugal mantém níveis de crescimento graduais e nos primeiros cinco meses do ano alcançou um aumento de 67% na faturação.

Entre janeiro e maio deste ano a Melom e o Querido alcançaram um total de 981 adjudicações, uma média de 6,5 adjudicações por dia, sendo que o valor médio por obra adjudicada é de 11.539 euros.

Em comuncado, a empresa revela que no último mês de maio foram batidos todos os recordes desde a sua criação, quer em faturação – 2.385.702 euros, em número de adjudicações – 252 ou em pedidos de orçamentos – 1.029.

Entre janeiro e maio de 2017, as marcas líderes no setor das obras residenciais em Portugal, abriram 28 novas unidades operacionais ( sete da Melom e 21 da Querido), que resultaram na criação de 105 novos postos de trabalho especializado. Atualmente, as duas insígnias têm 170 unidades de negócio ativas em Portugal.

Lisboa, Porto, Setúbal, Faro e Coimbra são as áreas geográficas que lideram a procura nas obras residenciais, mantendo-se em 28% dos casos, a remodelação geral como a principal obra realizada, seguida de remodelações parciais em casas de banho e cozinhas.

“Os portugueses são muito exigentes e encontram na nossa rede o profissionalismo que procuram. Enquanto líderes de mercado temos a obrigação de nivelar o serviço e não defraudar expetativas”. João Carvalho adianta ainda “o último mês de maio foi o melhor de sempre da nossa rede, tendo adjudicado, em apenas um mês, 252 obras. Em maio, renovamos também o título de empresa com melhor reputação, por isso, só podemos agradecer a confiança depositada e continuar a trabalhar para nos superarmos mês após mês”, revela João Carvalho, Diretor-Geral da Melom.

Recomendadas

Três Dolce Vita colocados à venda por 15 milhões de euros

Em todos os casos, caso não hajam ofertas superiores ao valor mínimo, serão admitidas propostas mais baixas.

Savills fica responsável pela gestão do edifício Atlas III

Atlas III, em Miraflores, é o mais recente empreendimento sob a gestão da Savills.

Dona da Comporta estuda “projeto estratégico” a preços acessíveis no Parque das Nações

A Vanguard Properties quer construir três prédios no total, com o valor do investimento a rondar os 30 a 35 milhões de euros.
Comentários