Miguel Alves eleito presidente do Conselho Regional do Norte

O presidente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves, foi eleito presidente do Conselho Regional do Norte, órgão consultivo da CCDR-N que acompanha as atividades da instituição. Sucede ao presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha. A nova composição do Conselho Regional do Norte inclui como vice-presidente o autarca do município da Póvoa de Varzim, Aires Pereira.

A eleição decorreu na reunião que juntou, na Casa das Artes de Felgueiras, a maioria dos membros do Conselho Regional do Norte e que serviu, igualmente, para aprovar a proposta de reprogramação do NORTE 2020 (Programa Operacional Regional do Norte 2014/2020), a qual revê a afetação de 540 milhões de Euros.

A proposta, que será submetida à Comissão Europeia, prevê o reforço do financiamento na formação inicial e na formação ao longo da vida, das políticas ativas de emprego e apoio ao empreendedorismo de base local, dos sistemas de incentivos às empresas, do investimento em infraestruturas e equipamentos de utilização coletiva de proximidade e na mobilidade urbana multimodal sustentável.

O Conselho Regional do Norte integra na sua composição os 86 presidentes de Câmara Municipal da Região do Norte e cerca de duas dezenas de organizações sociais, económicas, ambientais e científicas representativas do tecido institucional da região.

Acompanhar as atividades da CCDR-N e a execução dos programas operacionais de financiamento comunitário, pronunciar-se sobre os projetos de relevância e dar parecer sobre os planos e programas de desenvolvimento regional, nomeadamente sobre a aplicação de investimentos da administração central na região, são algumas das competências do órgão.

Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários