Montante de crédito ao consumo em maio teve subida anual de 16,3%

O total do crédito ao consumo concedido em maio soma 667,186 milhões de euros, o que significa uma subida de 15,0% face a abril e de 16,3% face a maio de 2017. Isto em 133.643 novos contratos (mais 11,1% do que em abril e mais 5,5% do que em maio do ano anterior). Portanto, foram emprestados em maio cerca de 5.000 euros por contrato. O crédito automóvel lidera em montante e em subida percentual.

O Banco de Portugal reportou a evolução dos novos créditos aos consumidores em maio de 2018.  A variação homóloga do número e do montante de novos créditos – maio 2018/maio 2017  revela que a maior subida deu-se no crédito automóvel: com uma subida de 14,8% do montante de crédito para a compra de carro (289 milhões de euros) e de 13,3% de subida do número de contratos de crédito (20.395 contratos).

Seguiu-se o crédito pessoal que num ano subiu em número de contratos 11,8% (40.534 novos contratos) mas em montante lidera subida ao registar uma variação de 22,7% (num montante de 286 milhões de euros) e o crédito através de cartões e de descobertos bancários que subiu em maio face ao mês homólogo do ano anterior 3,3% em montante (92 milhões) e 0,4% e número de contratos (72.714 contratos). Sendo que este indicador inclui as facilidades de descoberto incluem apenas os contratos de crédito sob a forma de facilidade de descoberto com prazo de reembolso superior a um mês, e o montante de crédito refere-se ao limite máximo de crédito colocado à disposição do cliente (plafond) e não ao montante de crédito efetivamente utilizado.

O total do crédito ao consumo concedido em maio soma 667,186 milhões de euros, o que significa uma subida de 15,0% face a abril e de 16,3% face a maio de 2017. Isto em 133.643 novos contratos (mais 11,1% do que em abril e mais 5,5% do que em maio do ano anterior). Portanto, foi concedido crédito ao consumo em maio de cerca de 5.000 euros por contrato. O que compara com uma média de 4,8 mil euros em abril e 4,5 mil euros em maio de 2017.

Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários