Montepio vai pedir uma inspeção tributária voluntária às Finanças

Tomás Correia explicou, em entrevista ao DV, que teve dúvidas sobre o regime fiscal aplicável à Associação Mutualista. A AT esclareceu que não preenchem as condições de isenção de IRC para poder beneficiar do crédito fiscal.

A Associação Mutualista Montepio Geral vai se voluntariar para uma inspeção tributária das Finanças, garantiu o presidente Tomás Correia, em entrevista ao Dinheiro Vivo. Explicou ainda que a associação esclareceu o regime fiscal que lhe era aplicável com as Autoridade Tributária (AT), mas que não pediu qualquer isenção de IRC para poder beneficiar do crédito fiscal.

“Para que não haja dúvidas, para que os portugueses saibam o rigor com que nós tratamos estas coisas, a AMM vai pedir uma inspeção tributária voluntária à AT. E nós não temos dúvidas nenhumas de que está bem feito”, afirmou Tomás Correia, sobre a questão dos créditos fiscais.

O presidente da associação explicou, ao DV, que teve dúvidas sobre o regime fiscal que lhes era aplicável porque “a isenção ou não isenção não é algo que decorra automaticamente da lei”, mas sim “por despacho do titular das Finanças”, explicou. “A AT respondeu-nos dizendo que, de facto, não preenchíamos, a partir de 2017, as condições de isenção”, acrescentou.

Tomás Correia confirmou ainda que a entrada da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e de outras instituições no capital da Caixa Económica Geral está para breve. Tal como o Jornal Económico noticiou na semana passada, as IPSS vão pagar 45 milhões por 2% do banco.

Relacionadas

Carlos Tavares eleito Presidente da Caixa Económica Montepio

Carlos Tavares já é formalmente Chairman (presidente do Conselho de Administração) e CEO do banco liderado até hoje por José Félix Morgado.

Santa Casa vai pagar 20 milhões por 1% do Montepio

Santa Casa de Lisboa entra com 20 milhões e fica com 1% da CEMG. Valor implícito do banco coincide com a avaliação da Associação Mutualista.

Tomás Correia: IPSS vão pagar 45 milhões por 2% da Caixa Económica

O presidente da Associação Mutualista acaba de dizer na RTP3 que as instituições da economia social só vão ficar com 2% do capital da Caixa Económica Montepio Geral e por isso vão pagar 45 a 48 milhões de euros. O Jornal Económico tinha referido em primeira-mão que o investimento iria ser abaixo dos 50 milhões de euros.

Banco de Portugal aprova lista de administradores do Montepio

A conclusão do processo de Fit & Proper (avaliação e adequação) pelo Banco de Portugal é o que faltava para a Associação Mutualista convocar uma Assembleia Geral do banco onde será votada a mudança de estatutos para compreender um novo modelo de governo, e a eleição dos órgãos sociais.
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários