Moody´s sobe rating das obrigações hipotecárias do BCP

“Esta ação de rating segue a atualização da Moody’s da avaliação do avaliação do risco de contraparte (CR) (que evoluiu de Ba2 (cr) para Ba1 (cr) em 22 de março de 2018).

Cristina Bernardo

A Moody’s actualizou as notações de rating das obrigações hipotecárias (covered bonds) do BCP de A3 para A2.

“Esta ação de rating segue a atualização da Moody’s da avaliação do avaliação do risco de contraparte (CR) (que evoluiu de Ba2 (cr)  para Ba1 (cr) em 22 de março de 2018).

Como resultado, as covered bonds (CB), que são a âncora do programa, estão agora num grau superior da classificação de rating.

O indicador de pagamento atempado (TPI – The Timely Payment Indicator) que está  classificado com “Improbable” (improvável) limita o rating das covered bonds (hipotecárias) à classificação A2 . O programa detém o excesso de colateralização (OC) suficiente para atingir a nova classificação (por favor, veja abaixo a seção Perda esperada para mais informações). Mas o programa detém sobrecolateralização suficiente para atingir um novo grau na classificação.

A Moody’s determina classificações de covered bonds usando um processo de duas etapas: uma análise de perda esperada e uma análise de estrutura de TPI.

A avaliação de de risco de contraparte do BCP reflete a capacidade do emissor de evitar a incumprimento das obrigações emitidas pelo banco.

As perdas estimadas para os colaterais deste programa são de 21,8%. O sobrecolateral é de 38,5%, dos quais o BCP fornece 5,3% numa base de compromisso.

Ler mais
Recomendadas

Inovação e empreendedorismo

Há que aplicar as novas tecnologias à cadeia de valor de uma empresa para que esta possa fornecer a melhor resposta ao cliente, conhecendo e focando-se nas necessidades que este tem. Neste ponto as startups representam uma mais-valia.

CGD avalia ações contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo

Advogados da CGD estão a avaliar ações cíveis contra gestores da administração de Santos Ferreira que deram ‘luz verde’ a operação Vale do Lobo. Parecer é entregue após o verão para decisão final.

JP Morgan bem posicionado para liderar entrada em bolsa da WeWork

Dona da WeWork vai emitir obrigações até seis mil milhões de dólares e fontes próximas da empresa revelaram que a instituição financeira que montar esta operação poderá ter papel ativo na entrada em bolsa da WeWork.
Comentários