“Não há medidas extraordinárias até novembro”: PS exige que Albuquerque se retrate

Porta-voz do PS, João Galamba, exigiu que Maria Luís Albuquerque se retrate, defendendo que os dados em contabilidade pública e nacional até novembro apontam já para o cumprimento da meta do défice, sem qualquer medida extraordinária.

“Os dados quer em contabilidade nacional quer em contabilidade pública são conhecidos e o défice até novembro baixa significativamente e permite cumprir a meta com Bruxelas, e os dados até novembro não incluem qualquer receita extraordinária referida por Maria Luís Albuquerque, nem a reavaliação de ativos nem o programa extraordinário de regularização de dívidas”, afirmou João Galamba à Lusa.

A vice-presidente social-democrata Maria Luís Albuquerque afirmou hoje que o Governo só conseguirá cumprir a meta do défice através de “medidas extraordinárias e irrepetíveis”, reclamando que o PSD teve sempre razão.

“Todos nos lembramos bem do que disse Maria Luís Albuquerque em setembro, numa entrevista à televisão, que era aritmeticamente impossível cumprir o défice. Esperamos que se retrate destas declarações, corrija as declarações que fez hoje e reconheça que sim, este Governo está a fazer aquilo que o Governo anterior não foi capaz”, exigiu João Galamba.

O dirigente e porta-voz socialista defendeu que o executivo está a fazê-lo, “sem esconder nada, sem maquilhar contas, garantindo que os portugueses têm não só as medidas que merecem, mas também contas públicas transparentes e com rigor, cumprindo compromissos internos e externos”.

“Percebemos a desorientação do PSD e de Maria Luís Albuquerque, mas pedimos algum pudor aos responsáveis do PSD, nomeadamente a Maria Luís Albuquerque, porque todos nos lembramos do que ela fez enquanto foi ministra: não só nunca cumpriu uma meta do défice, como deixou bastantes encargos para o futuro que este Governo está a tentar resolver”, afirmou.

Relacionadas

Maria Luís Albuquerque sobre o défice: “Nós tínhamos razão”

Ex-ministra das Finanças acredita que cumprimento das metas do défice não seria possível sem medidas extraordinárias do Governo.
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.
Comentários