“Nem para crianças nem para amadores”. O que disse Ricciardi antes de avançar

José Maria Ricciardi avança como candidato à presidência do Sporting, justificando o passo em frente pelo facto de não reconhecer capacidades à restantes candidaturas. Pelo meio, a guerra de palavras com Bruno de Carvalho e desvalorização de uma eventual candidatura de Figo.

José Maria Ricciardi
O banqueiro, que indica que nunca foi um presidente sombra do Sporting, foi uma das figuras de destaque no período de crise dos ‘leões’, merecendo críticas acérrimas de Bruno de Carvalho. Antes da assembleia geral destitutiva, na qual Bruno de Carvalho tornou-se o primeiro presidente do Sporting destituído, o antigo líder leonino acusou Ricciardi de ser o “estratega” da crise que estava a acontecer no clube leonino.
Para Bruno de Carvalho, o banqueiro “quis com toda a força assessorar com a sua nova empresa, Optimal Investments, o negócio do empréstimo obrigacionista”. Como a proposta foi recusada, José Maria Ricciardi “começou a juntar as suas tropas”, afirmou o antigo presidente do Sporting.

“Ricciardi é o estratega de tudo isto, com promessas nos corredores de entradas de milhões no Sporting com Álvaro Sobrinho, quando só se viu o acerto de contas de 500 mil euros e uma carrinha. Porque mudou a sua posição e com eles tantos dos que diziam que eram nossos apoiantes? Ele é um sobrevivente, é um daqueles que vai passando pelos pingos da chuva nem que tenha de ter a família toda na cadeia”, acusou o antigo líder dos leões em maio.

A 11 de abril, José Maria Ricciardi, que foi presidente do BESI e, depois, do Haitong Bank, demitiu-se do conselho leonino do Sporting Clube de Portugal e retirou o apoio a Bruno de Carvalho.

“Regressado dos Estados Unidos e perante os acontecimentos mais recentes e a evolução entretanto verificada no Sporting, deixam de estar reunidas as condições para me manter nos órgãos sociais. É hora de retirar o apoio ao presidente do Sporting, dr. Bruno de Carvalho”, disse Ricciardi.

José Maria Ricciardi era, até àquela altura, um importante apoiante da direção de Bruno de Carvalho, chegando até a ajudar o clube, através do Haitong Bank, a procurar investidores para a SAD do Sporting.

“Não apoio Luís Figo”
Ricciardi remeteu-se praticamente ao silêncio neste período em que os candidatos se apresentaram deixando no ar duas ideias: de que não colocava de parte a possibilidade de avançar e de que não iria apoiar Luís Figo, adiantando inclusivamente ao Jornal Económico que “não reconhece capacidade a essa candidatura para liderar o Sporting”.
“É preciso gente com experiência. Isto não está nem para crianças nem para amadores”, disse Ricciardi, frase que já preconizava o anúncio para a candidatura à liderança dos ‘leões’.
Recomendadas

Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Sustentabilidade no investimento: menos risco, mais valor

Reduzir a quantidade de plásticos descartáveis ou viajar de comboio são duas formas de reduzir a nossa pegada ecológica. E no investimento, o que podemos fazer para reforçar a sustentabilidade?
Comentários