Nigéria entrega à ONU 183 crianças resgatadas à Boko Haram

“Estas oito meninas e 175 meninos, em primeiro lugar são vítimas do atual conflito e a sua libertação é um passo importante no longo caminho para a recuperação”, assinalou o representante da UNICEF na Nigéria, Mohamed Fall.

O Exército da Nigéria entregou esta segunda-feira à ONU 183 crianças suspeitas de pertencerem à organização jihadista Boko Haram, resgatadas em vários Estados do nordeste do país afetados pela violência dos terroristas durante quase nove anos.

O grupo, rapazes e raparigas, foi entregue a funcionários das Nações Unidas (ONU) em Maiduguri, capital do Estado de Borno.

No momento da transferência, o tenente-general Nicholas Rogers afirmou-se esperançado de que as crianças recebam “cuidados médicos adequados e apoio”.

Em comunicado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) afirmou que “a libertação chega depois de as crianças, entre sete e 18 anos”, terem sido afastadas dos elementos dos Boko Haram.

“Estas oito meninas e 175 meninos, em primeiro lugar são vítimas do atual conflito e a sua libertação é um passo importante no longo caminho para a recuperação”, assinalou o representante da UNICEF na Nigéria, Mohamed Fall.

E acrescentou: “Trabalharemos com o Ministério dos Assuntos da Mulher e Desenvolvimento Social, assim como com os nossos parceiros, para proporcionar às crianças toda a ajuda que necessitem”.

Depois de permanecerem em custódia administrativa “as crianças receberão cuidados médicos e apoio psicossocial, antes de começarem o processo de reunificação com as suas famílias e reinserção na sociedade”, precisa-se no comunicado.

O grupo Boko Haram, que na língua local significa “a educação não islâmica é pecado”, luta para impor um estado islâmico na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e predominantemente cristão no sul.

Desde que a polícia matou em 2009 o então líder do Boko Haram, Mohamed Yusuf, os radicais mantêm uma campanha sangrenta na Nigéria, durante a qual já assassinaram mais de 20.000 pessoas e causaram cerca de dois milhões de deslocados.

Ler mais
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.
Comentários