NOS anuncia programa de aquisição de ações próprias

A NOS anunciou esta segunda-feira um programa de aquisição de ações próprias, no qual poderá adquirir até um máximo de 650.000 ações e que decorre até 10 de abril, divulgou a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em comunicado enviado à CMVM, a NOS informa que o conselho de administração “aprovou um programa de ações próprias, de acordo com os termos e condições aprovados em assembleia-geral sobre aquisição e alienação de ações próprias”.

“A NOS poderá adquirir até um máximo de 650.000 ações (0,1% de participação no capital social) destinadas a cobrir as obrigações da sociedade no âmbito dos planos de atribuição de ações aos trabalhadores, concedidos ao abrigo do plano de remuneração variável de curto e médio prazo da NOS, aprovado em assembleia geral de 23 de abril de 2014”, refere a nota.

A empresa “irá adquirir e deter ações limitadas a um máximo de 25% do volume diário médio de negociação na Euronext Lisbon e até um diferencial de preço máximo de mais ou menos 15% do preço mais baixo registado nas três sessões de mercado regulamentado imediatamente anteriores”, acrescenta.

Segundo a NOS, o “calendário e ritmo” deste programa estarão dependentes de “fatores de mercado” e evitarão “perturbar o regular funcionamento do mesmo”.

“As ações não serão adquiridas em períodos considerados sensíveis por natureza, em especial em momentos próximos à divulgação de informação privilegiada e resultados trimestrais ou atualizações do negócio”, refere ainda o comunicado.

A NOS compromete-se ainda a prestar atualizações regulares ao mercado sobre ações adquiridas ao abrigo deste programa e até um máximo de sete sessões após as negociações serem finalizadas.

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 acompanha Europa em alta. Títulos do Grupo EDP impulsionam praça nacional

O principal índice bolsista português soma 0,46%, para 4.855,54 pontos.

Abrandamento da economia poderá ser entrave para Moody’s igualar as pares na avaliação de Portugal

A Moody’s tem agendada uma avaliação à notação da dívida soberana portuguesa esta sexta-feira. A agência poderá querer alinhar-se com a S&P e a Fitch através de uma subida de um grau para ‘Baa2’, mas as incertezas que estão a esfriar o crescimento da economia global poderão ser motivo para manter o ‘status quo’.

Acalmia cambial trouxe bons resultados em Wall Street

O índice tecnológico S&P, .SPL.RCT, que inclui empresas que têm uma maior exposição ao mercado chinês e estiveram no centro das vendas registadas na segunda-feira, foi aquele que mais valorizou nesta sessão, com um crescimento de 1,61%.
Comentários