O que se passa no BES Angola é um caso de polícia

O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, considerou hoje que o que se passa no BES Angola configura “um caso de polícia” e lamentou que, “ao contrário de em Portugal, em Angola fazem-se perguntas mas não há resposta”. No final de um discurso em Lisboa no ‘International Club de Portugal’, já na fase de perguntas e […]

O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, considerou hoje que o que se passa no BES Angola configura “um caso de polícia” e lamentou que, “ao contrário de em Portugal, em Angola fazem-se perguntas mas não há resposta”.

No final de um discurso em Lisboa no ‘International Club de Portugal’, já na fase de perguntas e respostas, o presidente da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) admitiu ter sido “tentado a colocar o BESA no discurso”, mas explicou que “como há uma evolução todos os dias”, achou ser “um terreno escorregadio que não devia mencionar”.

Há várias questões, disse, “que configuram inconstitucionalidades e uma atitude e comportamento não transparente” das autoridades, disse o presidente da UNITA, respondendo a uma questão do deputado do CDS-PP José Ribeiro e Castro, que integra a comissão de inquérito ao que se passou na gestão do grupo e do banco Espírito Santo.

O Banco Espírito Santo Angola (BESA) vai passar a assumir a denominação de Banco Económico SA e entre os novos acionistas encontram-se o grupo público angolano Sonangol e o Novo Banco português, informou na quarta-feira o Banco Nacional de Angola.

As alterações foram decididas durante uma assembleia-geral extraordinária de acionistas, realizada em Luanda, em cumprimento das determinações do banco central angolano, que assim vai cessar a intervenção no BESA.

Na mesma informação, o Banco Nacional de Angola (BNA) esclarece que “se confirmou a subscrição do capital social”, conforme o próprio banco central tinha deliberado, há uma semana, no âmbito das medidas de saneamento e da intervenção direta no BESA.

Embora sem revelar o peso de cada participação, o BNA informa que “sob aprovação prévia do regulador”, a assembleia-geral decidiu pela “continuidade do acionista Geni, S.A.”, que anteriormente detinha uma participação de 18,99%.

 

OJE/Lusa

Ler mais
Recomendadas

“Que Deus abençoe a memória daqueles em Toledo”. Trump engana-se no nome da cidade do massacre no Ohio

O presidente norte-americano referiu-se referiu a Toledo, e não a Dayton, nas suas observações sobre um dos recentes massacres onde morreram nove pessoas e outras 27 ficaram feridas.

A “Casa de Papel” na vida real: Assalto à Casa da Moeda do México leva dos cofres 50 milhões em menos de 4 minutos

Os assaltantes conseguiram desarmar um guarda e furar todas as barreiras de segurança até chegarem ao cofre de segurança, que estaria aberto. Em menos de quatro minutos, o grupo de homens roubou e fugiu do edifício sem que a polícia tivesse sequer chegado.

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.