OE2015 com luz verde na generalidade

A proposta de Orçamento do Estado para 2015 foi hoje aprovada na generalidade pela maioria PSD/CDS-PP, com os votos contra de toda a oposição e a abstenção do deputado democrata-cristão eleito pela Madeira Rui Barreto. PS, PCP, BE e PEV votaram contra a proposta orçamental. No final da votação, o deputado do PSD Guilherme Silva […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/staging.jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 876

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/staging.jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 876

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/staging.jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 876

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/staging.jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 876

A proposta de Orçamento do Estado para 2015 foi hoje aprovada na generalidade pela maioria PSD/CDS-PP, com os votos contra de toda a oposição e a abstenção do deputado democrata-cristão eleito pela Madeira Rui Barreto.

PS, PCP, BE e PEV votaram contra a proposta orçamental.

No final da votação, o deputado do PSD Guilherme Silva anunciou que os parlamentares sociais-democratas eleitos pelo círculo da Madeira irão apresentar uma declaração de voto.

O deputado do CDS-PP Rui Barreto, que já tinha anunciado a intenção de se abster, anunciou também a entrega de uma declaração de voto.

A proposta de lei que estabelece as Grandes Opções do Plano para 2015 foi aprovada sem abstenções, com os votos favoráveis da maioria e contra do PS, PCP, BE e PEV, entre 224 deputados presentes.

No final, os deputados do PSD e do CDS-PP aplaudiram o Governo.

A proposta aprovada seguirá para debate nas comissões parlamentares de especialidade, com o debate em plenário marcado para os dias 20, 21 e 24 de novembro. Dia 25 terá lugar o encerramento da discussão na especialidade e a votação final global do documento.

O OE2015 prevê atingir um défice de 2,7% do PIB no final do ano. A estimativa para a dívida pública aponta para os 123,7%. Quanto à evolução do cenário macroeconómico, o Executivo antecipa um crescimento económico de 1,5% e uma taxa de desemprego de 13,4%.

 

OJE/Lusa

Ler mais
Recomendadas

Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Incêndios florestais caíram 26% este ano face a 2018

“Estamos, até hoje, com 6.800 incêndios desde o início do ano, o que significa que temos um número de incêndios 36% inferior à média dos últimos dez anos. E uma área ardida 42% inferior à média dos últimos dez anos”, sublinhou Eduardo Cabrita.

Proteção Civil tem reservas de combustível para “mais de dois meses”

Apesar de garantir que existem reservas para mais de dois meses, Eduardo Cabrita sublinha que as prioridades têm de ser asseguradas quando se fala numa dificuldade de distribuição.