Operação Altice/Media Capital “deve ser impedida”, defende a NOS

“Achamos que a operação põe em causa o pluralismo em Portugal, a operação põe em causa a concorrência em mais do que um setor e, nessa medida, deve ser impedida e é isso que vamos dizer à comissão parlamentar”, referiu a empresa em comunicado.

O presidente da NOS reiterou hoje a sua oposição à compra da dona da TVI pela Altice por colocar em causa “o pluralismo” em Portugal e a “concorrência em mais que um setor”, salientando que a operação deve ser “impedida”.

Questionado pelos jornalistas sobre a operação (que está em fase de investigação aprofundada pela Autoridade da Concorrência – AdC), durante a conferência de imprensa sobre os resultados da NOS de 2017, Miguel Almeida foi perentório: “A nossa posição sobre essa operação é conhecida, está publicada, é bastante clara”.

Ou seja, “não alteramos de forma nenhuma, mantemos a mesma opinião, opinião essa de que temos vindo a dar conta aos reguladores, em particular à Autoridade da Concorrência”, salientou.

“Achamos que a operação põe em causa o pluralismo em Portugal, a operação põe em causa a concorrência em mais do que um setor e, nessa medida, deve ser impedida e é isso que vamos dizer à comissão parlamentar”, disse.

Em 21 de fevereiro foi aprovada por unanimidade a audição parlamentar dos reguladores, representantes das televisões e das operadoras de telecomunicações sobre a compra da Media Capital pela Altice, as quais estão previstas decorrer durante este mês.

Estas audições, que serão conjuntas nas comissões parlamentares de Economia, Inovação e Obras Públicas e de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, surgem após a AdC ter anunciado a abertura de uma investigação aprofundada ao negócio da compra da Media Capital pela Altice, dona da PT Portugal.

Questionado sobre um eventual interesse na compra da SIC, Miguel Almeida afirmou: “Obviamente, nesta fase não vamos especular sobre cenários hipotéticos que estão ainda por confirmar”.

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) chumbou a operação nos moldes apresentados (embora o parecer não seja vinculativo), enquanto a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) não conseguiu chegar a consenso, contrariando a posição dos serviços jurídicos.

Em 15 de fevereiro, a AdC decidiu abrir uma investigação aprofundada à compra do grupo Media Capital pela Altice por existirem “fortes indícios” de que a operação poderá resultar em “entraves significativos” à concorrência.

Além da TVI, o grupo Media Capital engloba, entre outros, a produtora de conteúdos televisivos Plural, as rádios Comercial, M80, Cidade FM, Smooth FM e Rádio Vodafone, o portal IOL e a plataforma de conteúdos sobre Internet TVI player.

A Altice, que comprou em junho de 2015 a PT Portugal por cerca de sete mil milhões de euros, anunciou em julho passado que tinha chegado a acordo com a espanhola Prisa para a compra da Media Capital, dona da TVI, entre outros meios, por 440 milhões de euros.

Ler mais
Relacionadas

Altice reafirma “compromisso” e “financiamento” para comprar a TVI

Após notícias de que o negócio com o grupo Media Capital poderia estar em risco, a empresa francesa desmentiu a ideia, este sábado. Explicou que a data de 13 de abril “não tem implicações definitivas na conclusão do negócio”.
Recomendadas

Indústria Alimentar: o caminho da digitalização

No contexto da Indústria Alimentar, as organizações para se adaptarem necessitam de investir, e, atualmente, as tecnologias digitais chave passam pela: Robótica, Serviços móveis, Tecnologia Cloud, Internet-of-Things, Cibersegurança, Big Data e Analítica avançada, Impressão 3D, Inteligência Artificial e Social Media. Os consumidores, também eles cada vez mais nativos digitais, ditam tendências e as indústrias adaptam-se, quer […]

Japão testa drones que transportam pessoas para diminuir o trânsito

Os responsáveis pelo projeto apontam que os drones tripulados poderão ser uma solução para combater o trânsito: “O Japão é um país com uma densidade populacional muito elevada, e como tal, carros voadores poderão ser a solução para diminuir o trânsito no país”.

Procrastinação ou a coragem de mudar

É preciso saber e decidir sem vacilar. Caso contrário, faremos parte das fotos guardadas no baú. Para mais tarde recordar.
Comentários