Operação de resgate de jovens e treinador retidos em gruta na Tailândia pode demorar entre dois a quatro dias

A primeira saída da gruta está prevista para as 15h00. Na operação de resgate estão envolvidos 18 mergulhadores.

A operação de resgate dos 12 jovens e treinador retidos numa gruta na Tailândia, há 15 dias, já arrancou e deve demorar entre dois a quatro dias de acordo com um comandante do exército tailândes.

O major-general Chalongchai Chaiyakam afirmou que os 13 “vão sair um a um, em aproximadamente dois a quatro dias, dependendo das condições do tempo e da água”.

A operação de resgate dos 12 jovens e do treinador de futebol começou hoje, com a entrada dos primeiros mergulhadores às 10:00 (04:00 em Lisboa) na gruta, anunciou o chefe da célula de crise e governador da província de Chiang Rai, no norte do país, Narongsak Osottanakorn.

“Os rapazes estão prontos para enfrentar todos os desafios”, declarou.

Dois mergulhadores vão acompanhar cada rapaz na saída da gruta, estando prevista a primeira saída para cerca das 21:00 (15:00 em Lisboa), disse.

A única forma de retirar os jovens é por mergulho através de passagens escuras e estreitas, cheias de água lamacenta e com fortes correntes, num ambiente já com pouco oxigénio. Treze mergulhadores estrangeiros e cinco tailandeses participam na operação.

No passado dia 23 de junho, depois de um jogo de futebol os 12 rapazes, com idades entre os 11 e os 16 anos, e o seu treinador, de 25, foram explorar a gruta.

As inundações resultantes das chuvas torrenciais bloquearam a saída e impediram que as equipas de resgate encontrassem o grupo durante nove dias.

Ler mais
Relacionadas

Crianças presas em gruta na Tailândia escrevem carta a familiares a dizer que estão bem

Os 12 jovens e o treinador de futebol presos numa caverna a norte da Tailândia há duas semanas conseguiram conversar com seus familiares através de cartas, onde dizem estar bem.
Recomendadas

PremiumO Vinho Madeira que passa de geração em geração desde 1850

O maior desafio do Vinho Madeira é aumentar a produção das castas nobres Sercial, Verdelho, Boal, Malvasia e Terrantez, e diminuir a produção da Tinta Negra, “que já é excessiva”, diz Pereira de Oliveira.

PremiumDireito ainda está “fora de questão” mas “poderia reter” estudantes na região

Para já, não está em cima da mesa a criação de uma licenciatura em Direito na UMa, mas o reitor José Carmo diz que o curso tem procura local.

PremiumO valor do patrocínio num evento como o Rali Vinho Madeira

O Rali Vinho Madeira é um evento que ao longo dos anos tem atraído milhares às estradas madeirenses. Mas nem só de público vive esta prova de desporto motorizado. O patrocínio é outras das vertentes que sustenta e ajuda a levar cada edição a bom porto. Entre os patrocinadores estão marcas e empresas como a MEO e o BPI.
Comentários